Placas de vídeo ficam acessíveis

Nova série de placas gráficas Radeon HD 4800 combina alto desempenho com baixo consumo de energia e bom preço

Jocelyn Auricchio,

04 Agosto 2008 | 00h00

Não dá para escapar: quem quer rodar aplicativos 3D no PC, como o Google Earth, rodar vídeos em alta definição, editar fotos e vídeos usando efeitos em tempo real ou rodar games de última geração precisa de uma placa de vídeo decente. Placas topo de linha chegaram a custar mais de R$ 2 mil. As medianas, assombrosos R$ 1.300. Sem contar que uma boa placa de vídeo também demandava uma série de investimentos para adequar o PC ao novo equipamento. Fonte de energia mais potente, processador mais parrudo, mais memória... Tudo isso afasta o usuário médio, que fica assustado com os preços. De olho na liderança do mercado de placas de vídeo e mirando diretamente no usuário médio e também nos jogadores, a ATI, divisão gráfica da AMD, decidiu apostar em uma família de chips gráficos de custo equilibrado e alta performance. A série Radeon HD 4800. que conta com duas placas, a 4850 e a 4870, marca uma verdadeira revolução. A placa mais simples, a 4850, tem o mesmo poder de duas placas top de linha da geração passada. A balança do mercado, mesmo em tão pouco tempo, já começou a pender, ao ponto da Nvidia reduzir os preços de sues lançamentos no exterior para enfrentar de igual para igual a AMD. Com isso, nós, consumidores e jogadores, só temos a ganhar. O desempenho da nova placa, que testamos em primeira mão, é espantoso. Por uma fração do preço e consumindo menos energia (veja ao lado), a placa faz qualquer jogo rodar macio. A placa despende menos calor, demandando menos refrigeração. O resultado é um funcionamento estável e silencioso. E como não precisa de nenhum gabinete especial para rodar macio, com muita refrigeração e fonte de energia gigante, a placa funciona bem em qualquer máquina média, mesmo as mais antigas. Testamos a 4850 em um Athlon 64 de 2,4 GHz, um PC de mais de 2 anos de uso, com apenas 1 GB de memória. Pois não é que a máquina, cansada para os padrões de hoje, deu conta do recado? Mesmo jogos pesados, como o belo Crysis, rodaram sem problemas. O teste final foi em uma máquina de ponta, equipada com um processador Phenom de três núcleos e 2 GB de memória. Aí, foi covardia. Rodamos qualquer jogo de última geração com todos os efeitos no topo, sem nenhum engasgo. E tudo isso com apenas uma placa, de preço médio. A Radeon HD 4850 também faz algo inédito: ela passa som e imagem para TVs de alta definição apenas pelo cabo HDMI, sem nenhuma gambiarra de conexão. Com ela, foi possível assistir vídeos em full HD sem problema. Com preço honesto – no Brasil, a HIS vende a placa por R$ 800 – a Radeon HD 4850 excedeu as expectativas. Se fossem produzidas no Brasil, as placas seriam ainda mais baratas. RADEON HD 4850 FABRICANTE | AMD/ATI PREÇO | R$ 800 WEB | www.amd.com/br-pt/ DETALHES | Com baixo consumo de energia e poder acima da média, a placa é ideal para o consumidor médio rodar games e programas 3D. O chip gráfico da placa é vendido para diversos integradores, que vendem a placa de vídeo montada para o consumidor. No Brasil, a placa é vendida oficialmente pela empresa HIS.

Mais conteúdo sobre:
tecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.