1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Polícia investiga assaltos em hotéis de Salvador

TIAGO DÉCIMO - Agência Estado

20 Junho 2014 | 15h 41

Uma nova modalidade de assalto começou a chamar a atenção da polícia da Bahia nesta semana. Quadrilhas aproveitam a grande quantidade de turistas em Salvador, por causa da Copa do Mundo, para promover arrastões em hotéis pequenos. O horário escolhido pelos criminosos é durante o café da manhã, quando boa parte dos visitantes e dos funcionários está reunida no restaurante. Os assaltantes aproveitam a movimentação e a pouca segurança dos estabelecimentos, rendem as vítimas e levam dinheiro, documentos e equipamentos que elas portam no momento, antes de fugir em um carro que os aguarda na frente do hotel.

Na manhã desta sexta-feira, 20, foi registrada a quarta ação do gênero na região metropolitana de Salvador nesta semana. Quatro homens armados invadiram o Mar Hotel, localizado no Rio Vermelho, o principal bairro boêmio da cidade, por volta das 9 horas. Eles renderam os funcionários da recepção e, ao chegar ao restaurante, repleto de turistas - entre eles três estrangeiros -, anunciaram o assalto.

Para intimidar as vítimas, um dos criminosos chegou a dar um tiro para cima, mas ninguém ficou ferido. A quadrilha recolheu carteiras, celulares, relógios e joias de turistas e funcionários e ainda pegou alguns objetos do lobby do hotel antes de fugir, em um carro dirigido por um quinto integrante do grupo, que aguardava os outros quatro na porta do estabelecimento.

Na manhã de ontem, crime semelhante foi registrado em uma pousada de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, na região metropolitana de Salvador. Entre as vítimas estavam seis turistas estrangeiros que estavam na cidade para acompanhar a Copa do Mundo. De acordo com a direção da pousada, eles deixaram o estabelecimento ontem mesmo, após registrar a ocorrência. Assaltos do gênero foram registrados, também, em dois pequenos hotéis do bairro da Pituba, na orla de Salvador. A polícia tenta identificar os assaltantes e trabalha com a possibilidade de todos os crimes estarem sendo praticados por uma mesma quadrilha.