Polícia usa Google Earth para achar criminoso no RS

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) do Rio Grande do Sul recorreu ao site Google Earth para localizar e prender o foragido Joel Campos da Silva, de 27 anos, conhecido como Matador, no final da noite de domingo, na estação rodoviária de Tramandaí, no litoral do Rio Grande do Sul. O site criado pelo Google, ferramenta de busca mais popular da internet, permite visualizar imagens detalhadas de todo o planeta, captadas por satélites. Matador é considerado pela polícia como responsável pela metade dos 12 assassinatos cometidos pela facção Os Manos, que tem ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC) de São Paulo e orienta crimes de dentro das penitenciárias gaúchas. Foragido desde 9 de maio de 2006, ele portava uma pistola, documentos falsos e uma pequena quantidade de maconha quando foi preso. A polícia começou a fazer escutas telefônicas no celular de Silva, com autorização da Justiça. Depois de identificar as coordenadas geográficas, a investigação usou o Google Earth para descobrir o local da emissão dos sinais e chegou a um bairro do município de Imbé, também no litoral gaúcho. Na seqüência, foi identificada a casa freqüentada pelo foragido. Os moradores passaram a ser observados discretamente. No domingo, um deles foi à rodoviária de Tramandaí. A polícia acompanhou o movimento a distância e encontrou o foragido chegando de uma viagem. O delegado Juliano Ferreira admite que os investigadores poderiam ter chegado ao mesmo resultado recorrendo aos mapas convencionais, mas acredita que a busca foi acelerada pela possibilidade da consulta rápida e respostas precisas do Google. ´É um instrumento que tende a ser usado cada dia mais pela polícia´, afirmou.

Agencia Estado,

09 Janeiro 2007 | 10h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.