Prefeitura de SP veta propaganda em caminhões

A Comissão de Proteção à Paisagem Urbana da Prefeitura de São Paulo proibiu campanhas publicitárias na traseira de caminhões e dos veículos utilitários de cargas (VUCs). Nos últimos nove meses, a agência New Media passou a realizar propagandas para empresas como Cinemark, Claro e Heineken em veículos de carga que circulam pela capital paulista. Os motoristas recebiam entre R$ 600 e R$ 4 mil mensais para circular com a propaganda.

DIEGO ZANCHETTA, Agência Estado

16 Setembro 2013 | 17h09

A decisão ocorre no momento em que o governo municipal decidiu flexibilizar algumas normas da Lei Cidade Limpa, que desde 2007 veta qualquer outdoor ou propaganda na capital. A atual gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) liberou cartazes em cinemas e teatros e a veiculação da campanha Pedala SP em 60 bicicletários, 5 mil ônibus e 3 mil táxis.

Um projeto que está em trâmite na Câmara Municipal também quer liberar a propaganda na parte traseira dos 14 mil ônibus e 7 mil peruas do transporte coletivo da cidade.

Na proibição de campanhas publicitárias nos caminhões, a comissão da Prefeitura alega que os anúncios nesses veículos só podem se referir ao serviço oferecido pela empresa proprietária.

Mais conteúdo sobre:
Caminhões Propaganda SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.