Presidente egípcio nomeia membros do Senado

O presidente egípcio Mohamed Mursi anunciou os nomes de 90 novos membros do Senado, segundo relatos da mídia estatal, e um representante da presidência disse que a lista era formada principalmente por liberais e outros não islamistas.

Reuters

23 Dezembro 2012 | 11h28

Dois terços dos integrantes do Senado de 270 membros foram eleitos numa eleição no início deste ano, com um terço sendo nomeado pelo presidente. Mursi, eleito em junho, ainda não havia nomeado ninguém até agora. O partido islamista de Mursi e seus aliados dominam a assembleia.

Um representante oficial da presidência, antes do anúncio formal, disse que 75 por cento dos eleitos não são islamistas e inclui liberais e cristãos, uma minoria que chega a cerca de 10 por cento da população.

Hussein Abdel Ghani, um porta-voz da Frente Nacional da Salvação, uma coalizão de políticos da oposição e grupos disse, antes do anúncio, que a Frente se recusou a assumir qualquer assento. "Jamais aceitaremos tal coisa," disse ele à Reuters.

A corte Constitucional devia ter comunicado sobre a legalidade do Senado no começo do mês, mas um protesto dos islamistas fora dos tribunais interrompeu este trabalho e o senado continuou funcionando.

Com a nova Constituição que deve ser aprovada no referendo de sábado, o Senado assumirá os poderes legislativos, que agora estão nas mãos do presidente, até que uma nova Câmara dos Deputados seja eleita em uma eleição que deve acontecer no começo de 2013.

A Câmara dos Deputados, também dominada pelos islamistas, foi desfeita no começo do ano, depois que uma decisão judicial declarou inconstitucional as leis sob as quais ela foi formada.

(Reportagem de Yasmine Saleh)

Mais conteúdo sobre:
EGITO NOMEACOES SENADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.