Principal ligação entre PR e SC continua interditada

Agora, previsão é que a pista da BR-376 seja liberada na sexta; motoristas devem usar desvio na altura do Km 663

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

04 Dezembro 2008 | 10h37

A Rodovia BR-376, principal ligação entre Paraná e Santa Catarina, continuava interditada na manhã desta quinta-feira, 4, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os trabalhos devem continuar nesta quinta e agora a previsão é que a pista seja liberada na sexta-feira, 5.   Veja também: SC pede que Estados parem de mandar doações Saiba como ajudar as vítimas das chuvas  Mais de 30 mil voltam para casa em SC TBG retoma obras de reparo do gasoduto Saúde SC notifica 62 suspeitas de leptospirose Paraná encerra doações a Santa Catarina Solo pode demorar 6 meses para estabilizar Trabalhos na encosta impedem liberação de BR 4,5 mil seguem sem energia no Estado IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas       O trecho onde ocorreu o deslizamento de terra, na altura do Km 663, em Tijucas do Sul, no Paraná, chegou a ser liberado na manhã da terça-feira, 2. No entanto, foi bloqueada em seguida devido a um novo deslizamento, quando foi montado um desvio na região.   Na manhã desta quinta, técnicos continuam no local tirando parte da terra que deslizou na pista. Cerca de 2 mil m³ de terra ainda podem desmoronar sobre a pista caso não seja realizado a alteração do perfil da encosta. A avaliação é de engenheiros da concessionária responsável pelo trecho.   Como alternativa, os motoristas devem usar o desvio de 7 km na região. O desvio é feito pela pista no sentido contrário da BR-376. Por volta das 10 horas, os motoristas enfrentavam cerca de 4 km de congestionamento no sentido Santa Catarina. No sentido Paraná, não havia pontos de lentidão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.