Projeto em SP ensina balé a cegos

Professora cega de 25 anos é uma das primeiras alunas de fundadora da escola.

BBC Brasil, BBC

25 Novembro 2011 | 19h36

Depois de perder a visão aos 9 anos de idade, Geyza Pereira nunca pensou que fosse poder realizar o sonho de ser bailarina.

Hoje, aos 25 anos, ela é dançarina profissional e professora de balé clássico da Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini.

Para ela, a realização do sonho começou ao conhecer a professora Fernanda Bianchini, fundadora da escola.

Bianchini começou a ensinar dança para cegos em 1995 e desenvolveu uma técnica que permite que as crianças toquem suas pernas e braços para aprender os movimentos.

Como Geyza Pereira, a maioria das primeira alunas de Bianchini já passou dos vinte anos.

Hoje uma nova geração estuda com elas.

Nos seus 16 anos de existência, a escola, que se sustenta com patrocínios e doações, já formou 300 dançarinas.

Fernanda Bianchini também fundou uma companhia de dança com suas melhores alunas e sonha em vê-las atuando no exterior. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
video brasil balé dança são paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.