Receitas que passam de casa para casa

Mineira da cidade de Três Corações, Teresa do Carmo Machado, de 75 anos, não é cozinheira de uma madame só, mas de uma família inteira. Desde 1964 cozinha para os Almeida Pires. Começou na casa da matriarca, Anna Maria, onde aprendeu praticamente tudo que sabe de cozinha e só saiu dali por uma boa causa: foi trabalhar na casa da filha mais velha de d. Anna Maria, a pedagoga Anna Helena, a Lelê, quando ela se casou há três décadas.

LUCINÉIA NUNES, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2012 | 03h12

Ainda assim, Tê vivia socorrendo as outras quatro filhas de d. Anna Maria em ocasiões especiais ou quando queriam matar a saudade de seus pratos. Mas faz só dois anos que o rodízio entre as irmãs se oficializou. "Na verdade, sou eu que mato a saudade da família. Somos todos grandes amigos", afirma Tê, que frequentemente é escalada para cozinhar no fim de semana e fazer pratos como o cassoulet. Em festas e encontros da família também não podem faltar os quitutes da cozinheira.

Já as receitas ao lado, ela escolheu para agradar aos filhos de Anna Helena. "A Lelê pediu para eu fazer o rosbife. Mas eu sei que eles adoram esse rocambole", garante Tê.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.