Redução da conta de luz pode ficar aquém do esperado, diz Aneel

O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Romeu Rufino afirmou que a não adesão da Cesp à renovação das concessões do setor elétrico, aliada à recusa de três usinas da Cemig, pode fazer com que a redução da conta de luz não seja a idealizada pelo governo, de 20 por cento, em média, a partir de 2013.

Reuters

04 Dezembro 2012 | 12h44

"Os 20 por cento previam adesão total à renovação. Ou não será alcançado ou o governo terá de usar alternativas para compensar", disse Rufino a jornalistas ao chegar à reunião semanal da Aneel, nesta terça-feira.

O diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, afirmou que não calculou o impacto que a ausência da Cesp pode gerar, mas salientou que "queremos atingir os 20 por cento de qualquer jeito" de queda na conta de luz.

Segundo Hubner, somente a partir janeiro será discutido o que poderá ser feito, eventualmente, para compensar a ausência de ativos na renovação das concessões.

"Vamos discutir com o governo lá para janeiro como é que vamos fazer. Teremos mais recursos? Vamos alocar mais recursos do Tesouro (Nacional)? Ainda temos que fechar as contas", afirmou.

(Por Leonardo Goy)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA CORTE ANEEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.