Reservas de España

O reserva tinto deve passar pelo menos um ano na barrica, mas só pode entrar no mercado depois de três anos. O branco deve envelhecer dois anos - seis meses na barrica

saul.galvão@grupoestado.com.br, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2008 | 03h21

Rioja é a principal e maior produtora de vinhos finos da Espanha. Em 1926, ela foi a primeira denominación de origen do país e, mais tarde, 1991, a primeira da categoria máxima, denominación de origen calificada (DOCa). São, pelo menos, 65 regiões de denominación de origen (DO) e apenas 2 de denominación de origen calificada (Rioja e Priorato). Os vinhos espanhóis costumam também ser classificados de acordo com o tempo que passam amadurecendo na adega, principalmente em recipientes de carvalho. Tradicionalmente, os tintos de Rioja são bastante marcados pelo carvalho norte-americano, que costuma transmitir aos vinhos aquele toque típico meio ''doce'', de baunilha. Atualmente, cresce o uso de barricas de madeira francesa. A uva Tempranillo é , de longe, a principal da Rioja. Há muitos tintos de classe que só utilizam essa cepa. Garnacha (a segunda mais importante, com vinhos de alta proporção de álcool), Graciano e Mazuelo são as coadjuvantes. Os vinhos de denominación de origen controlada, sem especificações de categorias, levam apenas um selo com o nome da região. Não há exigências de tempo de envelhecimento. Normalmente são produtos para consumo rápido. Os vinhos de ''crianza'' devem ficar pelos menos dois anos amadurecendo nas adegas, 12 meses dos quais em barricas de carvalho. Normalmente, são vinhos mais estruturados, com toques de carvalho no aroma e sabor. O ''reserva tinto'' também deve passar pelo menos um ano nas barricas, mas só pode ser colocado no mercado depois de três anos. O reserva branco deve envelhecer dois anos - seis meses nas barricas. O gran reserva tinto tem de amadurecer pelo menos 60 meses nas adegas, dos quais 18 meses nas barricas e o restante nas garrafas. Para os brancos, dois anos na adega, dos quais seis meses nas barricas. Os preços costumam subir de acordo com a categoria. Os reservas não são baratos. Aqui, estabelecemos um teto de R$ 100 para os vinhos provados. VIÑA SALCEDA RESERVA 2000 ONDE ENCONTRAR: MISTRAL R.ROCHA, 288, TEL. 3372-3400 PREÇO: R$ 59,57 COTAÇÃO: 89/100 PONTOS A Viña Salceda é relativamente pequena, e caprichada. O vinho é o de melhor relação qualidade-preço. Um vinho já evoluído, com alguns tons grenás indicando envelhecimento. Mais que pronto para o copo. Não tem nada a ganhar com mais tempo na garrafa. Um corte de Tempranillo, Graciano e Mazuelo. Segundo o Guía Peñin, 90% de Tempranillo e o restante das demais cepas em proporções semelhantes. Aroma não dos mais intensos, mas delicado e fino. Algo de baunilha e frutas bem maduras. Também evocações florais ao fundo. Muito melhor na boca. Redondo, gostoso e equilibrado. Um Rioja bem tradicional. Depois de um certo tempo, apareceram toques bem nítidos de licor de cacau. Fácil de beber e com ótima acidez. Nada enjoativo. Taninos bem comportados, macios e nada amargos ou rústicos. 13% de álcool. MARQUÉS DE RISCAL RESERVA 2003 ONDE ENCONTRAR: LIQUOR STORE, TEL. 3507-6222 PREÇO: R$ 74,50 COTAÇÃO: 92/100 PONTOS A Marqués de Riscal foi uma das pioneiras e é um ícone na Rioja. Passou por uma fase nada brilhante há alguns anos, mas recentemente voltou a ser um dos destaques da região. Com esse nome, só faz vinhos da categoria Reserva, apenas com a Tempranillo. Este poderia melhorar um pouco com um pouco mais de tempo na garrafa, mas já está excelente assim mesmo. Aroma potente e muito complexo. Toque de baunilha, frutas e algo floral. Madeira equilibrada, sem exagero. Na boca, um pouco quente (2003 foi um ano de muito calor), mas não alcoólico. Álcool equilibrado. Chocolate aparece mais na boca do que no aroma. Redondo, com ótima acidez e nada cansativo. Retrogosto muito agradável e duradouro. Ficou na boca uma sensação agradável, lembrando chocolate e baunilha. 14% de álcool. BARON DE LEY RESERVA 2001 ONDE ENCONTRAR: EXPAND,TEL.3847 4747 PREÇO: R$ 88,71 COTAÇÃO: 91/100 PONTOS Uma vinícola nova, fundada em 1985 e em ascensão. É provável que este vinho se trate de um Tempranillo puro, como outros reservas da vinícola. Um tinto que encantou mesmo pelo aroma potente, e com fortes nuances florais. Impressão de violetas com a madeira ao fundo. Um aroma que predispõe a gostar do vinho, que não decepcionou na boca. Melhor no aroma, mas bom também na boca, com boa acidez, sempre pedindo o próximo gole. Baunilha da madeira aparece sem exagero. Álcool não se destaca. Muito bem equilibrado por outros componentes. Foi melhorando. Mais do que pronto para o copo. Um vinho elegante, macio,com taninos finos e final agradável. Toques florais mais uma vez na boca e no retrogosto. Ao mesmo tempo complexo e fácil de beber. 13,5% de álcool. BERONIA RESERVA 2001 ONDE ENCONTRAR: AURORA, TEL. 0800 77- 11-700 PREÇO: R$ 93,60 COTAÇÃO: 90/100 PONTOS Um Rioja tradicional, bem marcado pelo carvalho norte-americano. A Beronia tem tradição e este vinho foi feito com Tempranillo, Graciano e Mazuelo. Bem escuro e com poucos sinais se envelhecimento. Nada de toques grenás. Começou a agradar no aroma com um belo equilíbrio entre as características do carvalho e frutas, talvez framboesa. Baunilha, chocolate e algo tostado, de tabaco e bala de café. Um aroma muito mais elegante do que potente.Na primeira impressão, aroma tímido. Com o tempo, foi desabrochando. Um vinho redondo, "doce", macio e sedoso. Nada enjoativo e mais do que pronto para beber. Baunilha, chocolate e frutas também na boca. Equilibrado, redondo e longo. Ficou gosto de baunilha, chocolate e de frutas na boca. 13,5% de álcool.

Mais conteúdo sobre:
SALCEDA VINHOS SAUL GALVAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.