Rio fará réveillon com luzes da Olimpíada de Londres

Dezesseis minutos de fogos de artifício e 13 shows musicais vão compor a festa de réveillon em Copacabana, na zona sul do Rio, com apoio de tecnologia espanhola e inglesa. O evento, que deve reunir mais de 2 milhões de pessoas, vai começar às 20 horas em dois palcos na praia - o principal na frente do Copacabana Palace e outro na direção da Rua Santa Clara.

EQUIPE AE, Agência Estado

15 Dezembro 2012 | 11h44

As 24 toneladas de fogos de artifício serão distribuídas por 11 balsas ao longo da orla da Praia de Copacabana. Os fogos serão sincronizados com luzes projetadas diretamente das balsas. O público terá a impressão de que as luzes multicoloridas dançam no céu juntamente com os fogos e a trilha sonora.

Os fogos de artifício foram criados pela empresa de Barcelona Pirotecnia Ideal. A representante de sua filial brasileira, Vivian Pires, diz que o trabalho começou em setembro e as 2.330 bombas foram trazidas de navio, após uma viagem de 14 dias.

E os palcos também terão novidade: uma tecnologia que usa luzes de LED e foi usada na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres fará com que pareçam telas gigantes. A festa, cujo tema será "Mais Motivos para Sorrir", vai comemorar o fato de o Rio ter sido declarado Patrimônio da Humanidade na categoria paisagem urbana, em julho, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Além dos dois palcos de Copacabana, a Prefeitura do Rio vai promover festas de réveillon em outros oito bairros da cidade: Flamengo, na zona sul; Madureira, Penha, Ramos, Ilha do Governador e Paquetá, na zona norte; Sepetiba e Guaratiba, na zona oeste. Segundo o secretário municipal de Turismo do Rio de Janeiro, Antonio Pedro Figueira de Mello, a cidade receberá 720 mil turistas somente durante o réveillon. Na noite do dia 31, 13 navios estarão parados ao longo da orla, permitindo que 45 mil passageiros vejam a queima de fogos.

Mais conteúdo sobre:
Réveillon Rio festa fogos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.