Serviços pela internet na China crescem 50%

Os chineses gastaram US$ 35,5 bilhões em 2006 em serviços pela internet, 50% a mais que no ano anterior, segundo um relatório da Sociedade da Internet da China, publicado pelo jornal "China Daily". O usuário médio gastou cerca de 170 yuans (US$ 21,8) em serviços como conexão à internet, jogos e compras através da rede. O valor está 8% acima do registrado em 2005. O crescimento total foi maior devido ao aumento do número de internautas, que passou de 111 para 136 milhões. Além disso, 20,8 milhões de chineses disseram ter um blog, e 101 milhões visitam blogs com freqüência. "O crescimento da internet é grande mas a indústria ainda está numa etapa muito rudimentar", analisou Huang Chengqing, secretário-geral da Sociedade. O "Sina.com" voltou a ser o portal chinês mais popular no ano passado. Em segundo lugar veio o "NetEase", que passou o "Sohu", segundo o Guia da Internet 2007, elaborado pela Sociedade, com sede em Pequim, e pela empresa de consultoria DDCI. "Na China, provedores de serviços integrados como os portais têm uma razão natural para existir, já que o mercado é pequeno e o conhecimento dos usuários chineses é muito concentrado", explicou Hu Yanping, um dos autores do relatório. A publicidade na rede duplicou no ano passado, chegando a US$ 641 milhões. No competitivo mercado dos motores de busca, o crescimento também foi elevado, passando de US$ 134 milhões em 2005 a US$ 201 milhões em 2006. Este é o primeiro relatório publicado pela organização, que entrevistou cerca de 80 mil usuários e cerca de 900 companhias.

Agencia Estado,

12 Janeiro 2007 | 10h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.