Situação ainda é crítica nos principais aeroportos

Números contrariam a expectativa do novo presidente da companhia que garantiu tranqüilidade nos aeroportos

Yolanda Fordelone, da Agência Estado,

20 Dezembro 2008 | 18h51

A situação nos aeroportos brasileiros no final da tarde deste sábado, 20, véspera da semana do Natal, continua crítica. A Infraero registrava 40% (522) de vôos atrasados e 3,1% (41) cancelados, segundo o último boletim da estatal, às 18 horas. O novo presidente da companhia, Cleonilson Nicácio Silva, que tomou posse no cargo na sexta-feira, 19, em Brasília, esperava um fim de semana sem atraso nos vôos. Na cerimônia, Silva afirmou que a passagem deste fim de ano seria marcada pela tranqüilidade nos aeroportos com a implantação da operação "Feliz 2009", em conjunto com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).       Veja também:  Vôos em atraso nos aeroportos sobem para 38,8%, diz Infraero Os principais aeroportos do País operam com elevados índices de atrasos. Em Cumbica (SP), o porcentual representa 45,4% (83) do total. Em Brasília, 70,4% (69) dos vôos estão atrasados. No Galeão, 58,2% (64) das decolagens não saíram no horário previsto. Em Congonhas (SP), o porcentual diminui um pouco, para 15,3% (22) do total. Em Santos Dumont (RJ), apenas 10,5% (4) não cumpriram o horário de partida. Até às 18 horas, a empresa aérea com mais vôos atrasados era a Gol, com 247 decolagens (61,1% do total). Em números brutos, em seguida aparecem TAM, com 181 vôos (32,4% das embarcações da empresa no dia) e Varig, que atrasou 38 decolagens (44,2% do total). A companhia com mais vôos cancelados é a TAM. A empresa anulou 19 vôos.

Mais conteúdo sobre:
aeroportos vôos atraso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.