Sony forma joint venture por nova tecnologia de telas planas

A Sony anunciou nesta quinta-feira que vai criar uma joint venture com um fundo de investimentos para desenvolver um tipo de tela eletroluminescente com tecnologia chamada "field emission display" (FED). A Sony informou que o Technology Carve-out Investment Fund, sediado em Tóquio, investirá um total de 2,5 bilhões de ienes (US$ 21,7 milhões) no projeto, que começará a funcionar no próximo dia 18 com cerca de 30 funcionários. A Sony terá 36,5% do empreendimento e o TCI o restante. A tecnologia FED foi inventada na década de 1970 como uma possível alternativa aos tradicionais televisores de tubo de raios catódicos (CRT), mas nunca foi comercializada, perdendo terreno para telas de cristal líquido (LCD) e plasma. Toshiba e Canon trabalham em conjunto em uma tecnologia similar à FED, chamada tela de superfície condutora emissora de elétrons (SED, na sigla em inglês), que tem como objetivo competir com displays LCD e de plasma no crescente mercado de TVs planas e finas. As tecnologias FED e SED podem ser usadas no desenvolvimento de telas planas que são mais brilhantes, consomem menos energia e têm ângulos de visão maiores, mas ainda continua incerto se um dia serão comercialmente viáveis. Competição LCD e plasma estão no mercado de TVs há anos. A qualidade de imagem de ambas as tecnologias melhorou enormemente e a eficiência de produção cresceu rapidamente por conta de grandes investimentos de fabricantes como a Sharp. O porta-voz da Sony, Chisato Kitsukawa, informou que novos investimentos serão decididos com a análise dos resultados da joint venture após 18 meses. O alvo comercial mais provável da tecnologia FED serão grandes telas destinadas a uso profissional, como as usadas em emissoras de televisão, afirmou o representante. A Sony começou a desenvolver a tecnologia FED em 1998 com uma empresa da Califórnia chamada Candescent Technologies. A partir de 2002, a empresa japonesa deu início ao desenvolvimento próprio. A Candescent foi à falência em 2004. A Canon acabou comprando as patentes da empresa em um leilão.

Agencia Estado,

07 Dezembro 2006 | 15h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.