Starbucks amplia campanha para apoiar acordo fiscal nos EUA

O Starbucks está ampliando sua campanha de usar mensagens escritas nos copos de café para inspirar os parlamentares norte-americanos a chegar a um acordo e evitar o chamado abismo fiscal, que viria com aumento de impostos e cortes de gastos.

Reuters

29 Dezembro 2012 | 15h18

Enquanto o presidente Barack Obama e líderes parlamentares se reúnem num esforço final para chegar a um acordo antes do fim do ano, o Starbucks começou a pedir esta semana as funcionários de quase 120 lojas na área de Washington a escrever "vamos juntos" nos copos dos clientes.

Um porta-voz da maior rede de cafeteria do mundo afirmou que a empresa irá ampliar o esforço para todas as lojas dos Estados Unidos, mantendo a campanha durante a próxima semana.

"Lojas de todo o país têm perguntado se podem participar e nós temos respondido: com certeza, sim", afirmou o porta-voz do Starbucks Jim Olson em e-mail enviado no final da sexta-feira.

"Baseado nessa resposta sem precedentes, nós estamos convidando todos os nossos parceiros nas lojas dos Estados Unidos a começar a escrever 'Come Together' nos copos dos clientes até sexta-feira que vem", disse Olson.

A campanha do Starbucks visa a enviar uma mensagens aos políticos, que estão seriamente divididos, e servir como um mote para o público até o prazo final de 1º de janeiro para evitar duras reduções de gastos do governo e aumentos de impostos que podem levar a economia norte-americana de volta à recessão.

"Nós acreditamos que a campanha de (Washington) pegou tão rapidamente porque a mensagem 'Come Together' é um gesto tão simples e respeitoso que expressa o otimismo que é o centro da herança de nosso país e a missão do Starbucks", disse Olson.

"Este é um momento importante para o Starbucks usar seu tamanho para o bem e dar ao 'Come Together' uma voz ainda maior --ao passo que passamos a escrever de centenas de milhares de copos para centenas de milhões de copos nos Estados Unidos durante a próxima semana."

(Reportagem de Julie Ingwersen)

Mais conteúdo sobre:
STARBUCKS CAMPANHA ABISMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.