Supremo egípcio suspende trabalhos após protestos de islamitas

A Suprema Corte do Egito suspendeu seus trabalhos por tempo indeterminado neste domingo após protestos realizados por islamitas que apoiam o presidente do país, Mohamed Mursi, do lado de fora da sede judicial.

Reuters

02 Dezembro 2012 | 10h38

"Os juízes anunciam a suspensão das sessões da corte até que possam continuar com seus afazeres e decidir sobre casos sem qualquer pressão psicológica ou material", afirmou o tribunal de máxima instância em comunicado.

"A corte registra profundos pesar e dor em relação aos métodos para o assassinato psicológico de seus juízes", acrescentou.

Várias centenas de islamitas protestaram no exterior do tribunal neste domingo, antes de uma sessão em que a corte deveria examinar processos envolvendo a legalidade da Câmara Alta do Parlamento egípcio e da assembleia que redigiu uma nova constituição, ambos os órgãos dominados por islamitas.

(Reportagem da redação do Cairo)

Mais conteúdo sobre:
EGITO PROTESTOS JUSTICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.