Surto de cólera mata quase 500 pessoas no Zimbábue, diz OMS

Um surto de cólera matou quase 500 pessoas no Zimbábue. É o maior surto registrado recentemente no país, informou a Organização Mundial de Saúde (OMS) na terça-feira. A OMS disse em um relatório que o surto está afetando a maioria das regiões do país, com taxa de mortalidade de mais de 50 por cento em algumas áreas. Foram registradas 473 mortes em 11.700 casos. "Os surtos de cólera ocorrem anualmente no Zimbábue desde 1998, mas as epidemias anteriores nunca atingiram as proporções de hoje. A última epidemia de larga escala aconteceu em 1992, com 3 mil casos registrados", disse o relatório da OMS. Grupos em defesa dos direitos humanos no Zimbábue estimam que mais de mil pessoas morreram por causa desta doença, que pode ser prevenida e tratada em circunstâncias normais. O sistema de distribuição da água ruiu na capital Harare e em outras cidades, o que força os moradores a beber água de poços e rios contaminados.

REUTERS

02 Dezembro 2008 | 09h34

Mais conteúdo sobre:
ZIMBABUE COLERA QUINHENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.