Tags são alternativa para organizar conteúdo

O "Big Bang" causado pela internet não tem mais volta. A cada dia que passa a web fica mais congestionada, ao ponto de ninguém ficar realmente espantado quando o Google anunciou, no fim do mês passado, ter contabilizado 1 trilhão de endereços únicos cadastrados na rede. O desafio agora é organizar todo esse conteúdo. E uma saída que tem se tornado cada vez mais popular é o uso das chamadas "tags" (etiquetas, em inglês) para catalogar a bagunça. Fotos, textos e vídeos são associados a palavras-chave sugeridas pelos próprios usuários, ajudando a reunir todo esse material em torno de grandes blocos temáticos. Sites como o Digg (www.digg.com) e o Delicious (www.delicious.com), criados para que as pessoas compartilhem conteúdo com amigos, são alguns dos pioneiros desse método. Outros endereços famosos pelo uso de tags incluem portais multimídia, como o Last.fm (www.last.fm) e o próprio YouTube. Procure por "São Paulo" no Flickr (www.flickr.com), por exemplo, para encontrar imagens relacionadas à capital paulista, graças ao sistema de tags. Futurólogos acreditam que esse é o primeiro passo para o desenvolvimento de uma internet mais inteligente, a chamada de "web semântica", que facilitaria a busca e acesso à informação. Há ainda aqueles que acreditem que esse é o primeiro sinal da chegada da web 3.0.

Marcus Vinicius Brasil,

11 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.