Taiwan cria robô-empregada que pode cuidar de idosos

A Universidade Chiao Tung de Taiwan anunciou nesta quinta-feira, dia 11, o desenvolvimento de um robô capaz de reconhecer o seu dono e oferecer serviços segundo seus gestos, circunstâncias que permitem seu uso no cuidado de idosos e no serviço doméstico. O robô, denominado "Primeira Visão da Universidade Chiao Tung", é produto de 13 tecnologias desenvolvidas por um grupo de pesquisadores da universidade. "O sistema de visão digital do robô permite que ele lembre de seu dono, reconheça seus gestos e situação física e reaja adequadamente", afirmou Tsai Wen-hiang, reitor da Universidade Ásia e participante no projeto. Após uma fase de treino, o robô pode responder a gestos como o pedido de remédios, comida ou auxílio, o que o transforma em uma ferramenta útil para o cuidado de idosos. Os novos "cérebros mecânicos" desenvolvidos em Taiwan também distinguem os membros de uma família dos estranhos e podem ser utilizados como vigilantes, com capacidade para avisar a Polícia e seguir os intrusos que penetrarem em uma residência. "Estão programados para se defender e se manterem afastados dos intrusos", esclareceu Tsai. A robótica está adquirindo um grande desenvolvimento nas investigações acadêmicas taiwanesas, onde já se elaboraram outros tipos de robôs. Na Universidade Tamkang foi estabelecido um programa de pós-graduação pioneiro em engenharia robótica, o primeiro da ilha, que começará no próximo ano acadêmico. Desenvolvimento Alunos e professores do Departamento de Engenharia Elétrica de Tamkang desenvolveram robôs capazes de jogar futebol com os quais ganharam vários prêmios internacionais, incluindo o da Federação Internacional de Robótica. "A experiência taiwanesa na produção comercial em grandes quantidades será, sem dúvida, de ajuda para diminuir os altos custos na fabricação de robôs, o que pode significar um impulso para o setor", apontou o novo diretor de Robótica em Tamkang, Wong Ching-chang. A robótica procura construir "artefatos" semelhantes aos seres humanos para realizar trabalhos rotineiros, mas os resultados até o momento são limitados. As investigações atuais deste ramo científico se centram na inteligência artificial, na visão artificial e na robótica autônoma.

Agencia Estado,

11 Janeiro 2007 | 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.