Tanques reforçam segurança do palácio presidencial do Egito

Ao menos quatro tanques foram estacionados do lado de fora do palácio presidencial do Egito nesta quinta-feira, numa rua onde apoiadores e opositores do presidente Mohamed Mursi travaram confrontos no início da manhã, disseram testemunhas à Reuters.

Reuters

06 Dezembro 2012 | 07h30

Três veículos blindados de transporte de carga também estavam na rua do lado de fora do palácio. A violência que começou na quarta-feira à tarde e voltou a se repetir na manhã desta quinta deu uma trégua depois e as ruas estavam calmas.

Os soldados estavam identificados em seus uniformes como membros da Guarda Republicana, cuja função inclui proteger o presidente.

O tráfego estava fluindo normalmente apesar das pedras no meio das ruas que foram lançadas durante os conflitos. Centenas de apoiadores de Mursi ainda estavam no local, muitos cobertos com mantas e alguns lendo o Alcorão.

"Viemos para apoiar o presidente Mursi e suas decisões. Ele é o presidente eleito do Egito", disse Emad Abou Salem, de 40 anos. "Ele tem legitimidade, e ninguém mais tem."

(Reportagem de Edmund Blair e da Reuters TV)

Mais conteúdo sobre:
EGITO PALACIO TANQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.