Tinta que revela câncer pode ajudar cirurgiões, diz estudo

Pesquisa mostra que a substância ilumina células cancerosas e torna cirurgia mais precisa

BBC Brasil, BBC

15 Julho 2007 | 16h53

Pesquisadores americanos desenvolveram uma tinta que ilumina as células cancerosas, o que poderia tornar as cirurgias de remoção de câncer mais precisas, diminuindo o risco de a doença voltar. A substância foi desenvolvida a partir de uma molécula vinda de escorpiões, por cientistas do Hospital Infantil de Seattle e do Centro de Pesquisas de Câncer Fred Hutchinson, nos Estados Unidos. Em experiências realizadas com ratos, a tinta reagiu em contato com tumores cerebrais de apenas um milímetro de diâmetro, sem iluminar as células normais em volta. A descoberta transformaria completamente as cirurgias de câncer, já que atualmente os médicos têm que identificar as células cancerosas analisando a cor, textura e a circulação de sangue nos tecidos. Este trabalho é particularmente difícil em operações no cérebro, em que os neurônios próximos ao câncer não podem ser danificados. "Tornando possível que os cirurgiões vejam um câncer que não poderia ser detectado de outra maneira, nós podemos oferecer melhores resultados a nossos pacientes", diz um dos autores do estudo, James Olsen. "Minha maior esperança é que a tinta de câncer melhore o tratamento contra a doença", diz ele. Os autores acreditam que a tinta poderá ser usada para detectar vários tipos de câncer em pacientes a partir de 18 meses de vida, mas ainda é preciso verificar se a tinta funcionará bem em humanos e se não haverá nenhum efeito tóxico. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
câncer saúde cirurgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.