'Tosh.0' do Comedy Central explora fórmula batida, mas tem boas ideias

Humorista estreia nos EUA programa de TV sobre os vídeos mais toscos da internet. A pergunta é - alguém precisa realmente disso, e na TV?

Por Hank Stuever, do The New York Times,

05 Junho 2009 | 00h00

O "Tosh.0", programa do Comedy Central que estreou nesta quinta na TV norte-americana, presume que você não está acessando a web o suficiente, ou que mesmo que acesse o suficiente, não está vendo tanta coisa ruim quanto deveria. Pensando nisso, o comediante Daniel Tosh e seus roteiristas chegaram para ajudar com seu novo trabalho, cheio de pequenos esquetes e tiradas cruéis, exibindo uma seleção de vídeos bizarros da rede.   Isso, exatamente o que a internet precisa: um programa de TV. O resultado não inova e acaba sendo mais uma cópia, sustentada por uma série de referências batidas (ao Presidente Bush, ao episódio de racismo relacionado ao Kramer, à prisão do Mel Gibson por dirigir bêbado).   Tosh, de 34 anos, interpreta aquele tipo de colega de trabalho que não se cansa de te mandar links do YouTube ou do Funny or Die, e então vai até sua divisória para comentar o vídeo com você. Ele envia "vídeos esmagadores" (para pessoas que têm fetiche por assistir gente obesa sentando ou pisando em objetos), um trailer com uma garota animada sendo esmagada por uma bola inflável gigante, e um relance do incompreensível Twitter de Courtney Love.   A candura de Tosh só vai até aí, com a narração sem graça em tempo real de uma reportagem dinamarquesa que mostra um cara tentando (miseravelmente) talhar uma fila de 100 cocos com um golpe de caratê. Depois, num quadro sobre a popularidade de vídeos de "Beer Pong" (tradicional jogo norte-americano em que os competidores tentam acertar bolas de pingue-pongue em copos numa mesa) na web, uma atriz pornô joga o Beer Pong usando seus músculos mais potentes.   É como insistir em explicar uma piada que não precisa de explicação. E quem é o público-alvo? As pessoas que não usam muito a internet provavelmente não sentem falta de um programa de TV que mostre o que a rede tem a oferecer de mais tosco. E as pessoas que já conhecem todos esses vídeos vão desprezar o programa com sua resposta sarcástica padrão: FAIL.   Para ser franco, o programa não passa de meia hora de "vídeo-cassetadas" - algo tão velho quanto o Dick Clark. Dando um pouco de voltas, "Tosh.0" reconhece o quão tontos a maioria de nós (mesmo os mais antenados) se sente diante do fluxo diário de informações, quando a TV que é um computador é um iPhone, sempre preocupados assistirmos atrasados (em milissegundos) o vídeo "hypado" do momento.   É uma ansiedade falsa. Coitado de Tosh, que foi arrastado para algo muito maior e pior do que ele. Mas ele faz valer sua fama, especialmente numa cena em que visita o "Afro-Ninja", um dublê de San Fernando Valley que (aparentemente) é famoso no YouTube por causa do vídeo de um teste para um comercial atlético, em que ele dá um mortal para trás e se esborracha no chão.   Tosh passa uma tarde agradável com o Afro-Ninja, que um pouco arrependido, admite que seu FAIL o perseguirá eternamente. Em determinado momento, Tosh oferece ao dublê a chance de tentar repetir o salto.   Tosh.0 Thurs June 4th, 10pm / 9c Preview - Afro Ninja: Redemption comedycentral.com Daniel Tosh Helen Keller Jokes Single Ladies Dance Video   (E na próxima semana: a segunda chance da Miss Carolina do Sul - que disse algo como "tipo que nem na África do Sul e no Iraque, todos os lugares tipo esses..." na resposta de um concurso -, que vai ter a chance de responder à pergunta de novo.) Redenção virtual! Desfazer o FAIL! Essa sim é uma ideia que vale a pena ser explorada.

Mais conteúdo sobre:
TV comédia humor Afro Ninja Daniel Tosh

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.