Tour em NY, sem Empire State

Uma romena que não comeu chocolate quando criança hoje é especialista no assunto e promove tours às melhores chocolaterias de Nova York

Michelle Alves de Lima, O Estado de S.Paulo

13 Março 2008 | 04h31

''Sempre quis dividir com as pessoas minha paixão pelo chocolate'', diz Carmen Botez, criadora da Sweet Walks ), que promove tours com destino às boas chocolaterias de Nova York. ''Cresci na Romênia comunista e, por isso, não tive contato com o produto quando criança. Quando o provei pela primeira vez, fiquei fascinada'', conta ela, que lançou em junho de 2006 a revista eletrônica Chocolate Zoom (www.chocolatezoom.com). Hoje são três os passeios promovidos pela empresa de Carmen, todos monitorados por Bert James, que, instruído por ela, também se tornou especialista no assunto. ''A vantagem dos tours é que você conhece um pouco mais a história da cidade, dos chocolates e das lojas; é bem tratado em todos os lugares; e pode degustar chocolates que muitas vezes são vendidos apenas em quantidades maiores a preços bem altos'', diz James. O Paladar acompanhou o Luxury Chocolate Tour, que começa em Midtown e acaba em Upper East Side. Pouco mais de três horas, 11 chocolates, US$ 82 (além do valor cobrado, é preciso pagar mais US$ 2 de taxa e cerca de US$ 10 de gorjeta) e muitos blocos depois, confira todos os passos do passeio e descubra onde encontrar alguns dos melhores chocolates de Manhattan. O ponto de encontro do grupo é na tradicional Saks Fifth Avenue, no cruzamento da Rua 49 com a 5ª Av. O passeio começa ao meio-dia. A primeira loja a ser visitada fica ali mesmo, na Saks, a Charbonnel et Walker, de origem inglesa, no oitavo andar. ''Os chocolates chegam da Inglaterra diariamente'', conta Bert. A porcentagem máxima de cacau usada é 54%. Não é fácil escolher as 2 amostras inclusas no passeio entre os mais de 30 tipos de bombons expostos na vitrine (entre eles, o crown, uma coroa de chocolate recheada com uísque e amêndoas, e os tipos fetos com pétalas de rosa e violeta). ''Deixem para provar o chocolate branco sempre por último, pois o açúcar anestesia o paladar'', recomenda o guia. Escolhidos os chocolates, é hora de partir para a segunda loja. A francesa La Maison Du Chocolat fica a dois blocos do ponto inicial do passeio. Os bombons que vamos degustar são predefinidos: o la boème, recheado com mousse de chocolate, e o andaluzia, com zest de limão. Antes de partirmos para nosso próximo destino, a 11 blocos de onde estamos, recebemos um pequeno copo de chocolate quente (que mais parece um bom ''chá'' de chocolate). ''Ele demora de três a cinco horas para ser feito e tem cinco diferentes porcentagens de chocolate'', informa nosso guia. Num frio de -3°C, chegamos às 13h40 ao pequeno espaço do chocolatier belga Pierre Marcolini, já na região de Upper East Side. A loja, pequena, faz parte do tour apenas quando o grupo tem até cinco pessoas. A única filial norte-americana de Pierre Marcolini - que também está presente na Bélgica, França, Japão, Kuwait, Alemanha e Reino Unido - oferece a porcentagem mais alta de cacau do passeio, 85%, em um bombom com infusão de baunilha do Tahiti. O coeur framboise, um pequeno coração vermelho feito com chocolate branco e escuro, recheado com polpa de framboesa, é conhecido por ser o favorito da apresentadora Oprah Winfrey. Há também opções mais clássicas, como o saboroso trianon lait, uma ganache de caramelo crocante recheada com nougatine de amêndoas. A próxima parada é na Av. Madison, na recém-inaugurada MarieBelle, da espanhola Maribel Lieberman. Seu chocolate quente, feito com grãos de cacau colombiano, faz tanto sucesso que ganhou versões em barra (azteca original, azteca dark, azteca moscha e azteca spicy). Todos os bombons de MarieBelle vêm estampados com a arte do marido, um artista plástico. ''Meu sabor preferido é o de caipirinha, uma bebida como se fosse um mojito, mas sem a menta'', conversa Bert com os dois americanos que acompanham o tour.Uma pequena amostra do afamado chocolate quente também está inclusa no passeio. Três horas depois, chegamos à ultima loja do tour. Fundada em 1800, a francesa Debauve & Gallais é pequena e cheia de coisas caras. De Maria Antonieta a Van Gogh , muitos figurões fizeram parte da clientela desta chocolateria, que vende bombons recheados de ouro e prata e é considerada uma das mais caras de Nova York . A saborosa excursão termina após degustarmos os dois melhores bombons do passeio (que aqui também são pré-selecionados): o duo, recheado com caramelo e sal marinho, e o sambrulée, feito de chocolate ao leite com pralinée de avelã. 20 East 69th Street, (212) 734-8880. www.debauveandgallais.com - 30 Rockfeller Center, (212) 265-9404. www.lamaisonduchocolat.com 762 Madison Ave., (212) 249-4585. www.mariebelle.com 485 Park Ave., (212) 755-5150. www.marcolinichocolatier.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.