Urso Knut ganha 'biografia autorizada' na Alemanha

Livro conta história do urso polar rejeitado pela mãe que nasceu e ainda vive no zoológico de Berlim

Marcio Damasceno, BBC

26 Julho 2007 | 10h24

O ursinho mais famoso do planeta ganhou agora uma "biografia oficial". Knut, o pequeno filhote de urso está sendo apresentado nesta quinta-feira em Berlim pelo autor americano de best-sellers infantis Craig Hatkoff, de 53 anos. Escrito numa linguagem para agradar as crianças, com 44 páginas e muitas fotos do animal, o livro tem tudo para virar mais um sucesso de vendas, como tem acontecido com tudo o que tem a ver com o ursinho polar. A publicação terá parte da renda destinada a instituições de defesa do meio ambiente. O lançamento é fruto de uma cooperação firmada em maio entre o zoológico de Berlim e a editora americana Scholastic, que também detém os direitos da série Harry Potter nos EUA. A primeira edição da "biografia autorizada" sai com 30 mil exemplares. A segunda, com 15 mil cópias, já está em impressão. A história, que Hatkoff teria posto no papel com ajuda de suas filhas Juliana e Isabella, sai primeiro em alemão e só deve ser lançada em inglês dentro de alguns meses. O livro conta a trajetória de Knut até ele ganhar fama internacional, se tornando um símbolo na luta pela salvação do clima no planeta. Também descreve o dramático nascimento no zoológico de Berlim, em 5 de dezembro de 2006, as dificuldades dos primeiros dias, após ter sido rejeitado pela mãe, e a dedicação do tratador Thomas Dörflein, que cuidou do filhote como se fosse o próprio bebê, pernoitando várias noites no viveiro do animal. Pesando atualmente cerca de 50 quilos, Knut já tem muito pouco da aparência de ursinho de pelúcia das primeiras semanas de vida. Tanto que no começo deste mês foi separado do tratador Thomas Dörflein, que já não brinca mais com ele em público como antes, por questões de segurança. Depois de ser vista por mais de um milhão de pessoas, a apresentação diária do urso com seu pai adotivo foi cancelada, já que as brincadeiras se tornam cada dia mais perigosas para o criador. Paralelamente ao lançamento da biografia, ativistas continuam a criticar uma suposta "humanização" de Knut. A Federação Alemã de Proteção aos Animais pede que zoológicos parem de criar ursos polares. "A socialização não deu certo para Knut", afirmou o presidente da entidade, Wolfgang Apel. Segundo ele, a separação do animal de seu criador devia ter acontecido muito antes. Ele alega que o urso está com características cada vez mais humanas, sendo incapaz de conviver com outros animais de sua espécie. Knut se tornou uma mina de ouro para o zoológico de Berlim. O crescimento do número de visitantes e a venda de suvenires ligados ao filhote devem aumentar o faturamento da instituição em 5 milhões de euros neste ano. Além do livro, o zoológico de Berlim está negociando também direitos para três filmes sobre Knut: um documentário, um filme de animação e um de ficção. Mas a fama do ursinho também já faz as primeiras vítimas entre a vizinhança. Após uma onda de protestos de fãs insatisfeitos com o viveiro relativamente pequeno que Knut ocupava ultimamente, ele ganhou na semana passada um espaço maior. Os ursos de outra espécie, que viviam na atual moradia do ursinho polar, foram parar num outro zoológico da cidade.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
knut biografia zoológico alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.