1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Vacas leiteiras: casco bem tratado

Fernanda Yoneya - O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2007 | 02h 38

Há doenças que afetam os cascos dos animais. Manejo correto e alimentação equilibrada evitam problemas

Problema comum em rebanhos bovinos, sobretudo em bovinos de leite, a doença dos cascos é uma das principais responsáveis pelo descarte precoce de animais. Como a doença compromete a locomoção do bovino, conseqüentemente afeta o seu estado nutricional, pois a vaca doente vai pouco ao cocho se alimentar. Ao ingerir menos alimento, emagrece e reduz a produção de leite. Outra conseqüência negativa é em relação à reprodução, já que, com os cascos machucados, vacas e novilhas não têm como manifestar o cio (nesta época, elas montam ou deixam-se montar por outras vacas). ''''Uma coisa puxa outra'''', diz o médico veterinário Antônio Cândido Cerqueira Leite Ribeiro, da Embrapa Gado de Leite. Conhecida como podridão dos cascos, a doença tem várias origens. Entre elas, alimentação inadequada, falta de higiene nas instalações, excesso de umidade e barro e tipo de piso do local de permanência das vacas. ''''Umidade e barro deixam o casco mole, o que agrava seu desgaste. É o mesmo efeito que a água tem nas nossas unhas, deixando-as amolecidas.'''' DESGASTE Ribeiro explica que animais criados em sistemas de confinamento são mais suscetíveis à doença. Confinadas, as vacas ficam muito tempo em contato com o concreto, material normalmente usado para revestir o piso. ''''Isso provoca um desgaste maior dos cascos, especialmente nos animais mais pesados, pois o cimento é abrasivo'''', explica. ''''E as feridas tornam-se um porta de entrada de bactérias.'''' Uma das causas mais comuns da laminite (inflamação dos cascos) é a alimentação desbalanceada, com altos níveis de carboidratos e concentrados e baixo teor de fibras de boa qualidade. O veterinário Rodrigo Costa diz que uma dieta com excesso de grãos - ''''Milho, por exemplo'''' -, desequilibra a flora do rúmen, tornando-o ácido, o que resulta em problemas nos cascos. ''''Oferecer suplementação mineral adequada evita problemas. O zinco é o principal mineral ligado à saúde do casco'''', justifica. PREVENÇÃO Quanto às instalações, é preciso manter o local constantemente limpo, pois o excesso de dejetos e resíduos também podem provocar escoriações e ondulações nos cascos. O problema, conhecido como ''''erosão de talão'''', pode ocorrer após um caso de laminite ou pelo contato prolongado com materiais irritantes, como cimento e excrementos. O animal sente dor e recusa-se a andar. Verificar e separar animais doentes também é prática preventiva, pois alguns casos podem ser contagiosos. ''''Quando for adquirido animal novo, antes de colocá-lo junto ao rebanho, é aconselhável fazer uma inspeção sanitária geral na vaca'''', recomenda Costa.

  • Tags: