Varejo amarga queda nas vendas após 7 meses de alta

O comércio brasileiro amargou em outubro a primeira queda mensal no volume de vendas após sete meses consecutivos de aumento, mas no ano, o setor ainda acumula um aumento de mais de 10 por cento, mostraram dados divulgados nesta terça-feira. De acordo com levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do varejo em outubro ficaram 0,3 por cento menores do que o registrado em setembro. "Das dez atividades pesquisadas, somente três assinalaram crescimento em outubro com relação a setembro", informou o IBGE em comunicado. Considerando o chamado comércio varejista ampliado --que inclui veículos, motos, peças e materiais para construção-- a queda em outubro foi de 19 por cento frente ao mês anterior. A crise financeira global que se arrasta há mais de um ano se agravou na segunda metade de setembro e os efeitos dessa piora foram sentidos no Brasil a partir de outubro, quando o governo passou a lançar uma série de medidas para tentar reduzir os impactos sobre a atividade econômica do país. Apesar do rompimento do ciclo de avanço das vendas, o resultado acumulado no ano pelo setor ainda é positivo. As vendas de janeiro a outubro acumulam um avanço de 10,4 por cento. A comparação com o desempenho de outubro do ano passado também revela resultados positivos. As vendas feitas por todas as atividades de varejo pesquisadas pelo IBGE foram maiores em outubro do que o verificado no mesmo período do ano passado. O segmento de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo --um dos mais importantes termômetros do varejo brasileiro-- registrou um avanço de 7,4 por cento neste tipo de comparação. (Reportagem de Renato Andrade)

REUTERS

16 Dezembro 2008 | 10h06

Mais conteúdo sobre:
MACRO VAREJO OUTUBRO ATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.