Vestibular da PUC-SP tem abstenção de 6,27%

Estudantes concorrem a 6.235 vagas; instituições parceiras também usam a prova como seleção

CRISTIANE NASCIMENTO , O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2012 | 02h03

Entre os quase 20,4 mil inscritos para o vestibular unificado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), 1.279 candidatos não compareceram à prova ontem - uma abstenção de 6,27%.

Os estudantes concorrem a 6.235 vagas distribuídas entre a própria PUC-SP e outras instituições que adotam seu exame como critério de seleção. São elas a Faculdade de Medicina de Marília (Famema), a Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (FDSBC), a Faculdade de Enfermagem do Hospital Israelita Albert Einstein (Fehiae), a Faculdade Santa Marcelina (FASM) e as Faculdades Integradas Rio Branco (FRB).

Cerca de 20 estudantes foram barrados na entrada do câmpus de Perdizes, na zona oeste - principal local de prova do vestibular. O fechamento dos portões estava previsto para 13h45 e o início da prova ocorreria às 14 h. Nesse intervalo, alguns estudantes chegaram e ficaram do lado de fora. Foi o caso de Marcela Santarelli, de 18 anos. A estudante se desesperou, tentou forçar a entrada e, quando viu que não conseguiria, sentou-se no chão e começou a chorar. Instantes depois a jovem foi informada de que o portão reabriria às 14 h para os atrasados que já se encontravam no local. A prática, de fechamento e reabertura dos portões, já é comum no exame da universidade.

Marcela e outros estudantes disseram ter recebido informação incorreta sobre a prova. O local do exame estava indicado como Campus PUC (Monte Alegre) e o endereço, como Rua Ministro Godói. Alguns jovens, porém, se confundiram e se dirigiram à rua Monte Alegre, sede administrativa da universidade. Outros alegaram que não tinham seus nomes na relação de candidatos que prestariam o vestibular naquela unidade.

Ana Maria Domingues Zilocchi, coordenadora geral da Coordenadoria de Vestibulares e Concursos da PUC-SP, foi procurada para comentar o caso, mas não pôde falar.

Crise. O exame ocorreu durante uma crise institucional na universidade, desencadeada pela nomeação da professora Anna Cintra à reitoria. Atualmente, alunos e professores estão em greve.

Cerca de dez alunos da PUC-SP abordaram os vestibulandos na saída e entregaram adesivos com a inscrição "Greve geral". Depois, contaram sobre a origem do conflito na instituição. "É importante conversarmos com nossos possíveis futuros bixos, para que saibam o que está se passando aqui", diz Gabriela Freitas, aluna de Psicologia. Os resultados serão divulgados no dia 18.

POLÍTICAS AFIRMATIVAS

VESTIBULAR

350%

foi o aumento na proporção de negros e pardos cursando faculdade no Brasil na última década, entre 2001 e 2011, segundo o IBGE

17mil

foi o total de alunos ausentes na Fuvest deste ano, o que representa 10,7% dos 159 mil inscritos; trata-se do maior índice desde 2002

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.