Vivo perde 5,5 pontos de participação em 2006, TIM ganha 2

A operadora de telefonia celular Vivo amargou no ano passado a perda de 5,5 pontos percentuais em sua participação de mercado no país. Enquanto isso, as rivais TIM e Claro conquistaram cada uma cerca de 2 pontos na comparação com 2005, indicam dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A Vivo, que chegou a ter quase 60% de participação no mercado brasileiro de telefonia celular, encerrou 2006 com 29,08% de participação, ante 29,48% em novembro e 34,54% em dezembro de 2005. O Morgan Stanley enviou nota de pesquisa na terça-feira afirmando que a Vivo continuou promovendo limpeza de base de clientes durante o quarto trimestre do ano passado, o que ajudou a compor a performance fraca da indústria no período na comparação com o desempenho de 2005. A rival TIM, segunda no ranking nacional após a Vivo, ficou ao final do ano passado com 25,45% do mercado ante 25,40% em novembro e 23,42% em dezembro de 2005. Isso representa um ganho de 2,03 pontos percentuais em 12 meses. Já a Claro, do grupo América Móvil, conseguiu avanço maior que o da unidade da Telecom Italia : 2,26 pontos percentuais. A terceira maior operadora celular encerrou dezembro com 23,9% de participação, acima dos 23,51% de novembro e dos 21,64% de 2005. A Oi, do grupo Telemar, conseguiu elevar sua participação em 1,1 ponto percentual no fim de 2006, para 13,09% . O mercado brasileiro de telefonia celular fechou 2006 com 99,9 milhões de linhas em operação e deve atingir a marca dos 100 milhões ainda este mês, informou a Anatel. Do total de usuários, 80,62% utilizam celulares pré-pagos e o restante pós-pagos. Segundo a agência, a penetração da telefonia móvel entre a população fechou 2006 em 53,24% . No ano passado, a chamada "teledensidade" do celular cresceu 14,3% na comparação com 2005. O Distrito Federal continua sendo a região com maior quantidade de celulares por habitante, 1,12, e Piauí foi o Estado que apresentou maior crescimento em 2006, apesar de ser o penúltimo do ranking da Anatel. O Estado obteve aumento de 32,7% no quesito. Maranhão é o Estado com menos celulares por habitante do país, 0,2.

Agencia Estado,

18 Janeiro 2007 | 09h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.