YouTube quer dividir renda publicitária com usuários

A Google, que adquiriu a companhia YouTube no ano passado, planeja dividir parte da receita arrecadada com publicidade entre os internautas que colocarem seus vídeos no site. O co-fundador do YouTube, Chade Hurley, disse ao jornal "Financial Times", à margem da reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos (Suíça), que ainda não foi decidido quanto será pago por vídeo inserido no famoso site. No entanto, Hurley adiantou que a remuneração começará dentro de alguns meses e corresponderá ao crescimento da receita registrada pela Google. Os fundadores do YouTube, Chade Hurley e Steve Chen, tinham resistido até agora a este modelo de negócio, que tem seus precedentes nos sites britânicos Revver e no serviço de telefonia celular 3´s, porque não acreditavam que fosse a melhor maneira de "construir uma comunidade" virtual, disse Hurley. No entanto, desde que o Google pagou US$ 1,65 bilhão na aquisição do YouTube em outubro, o número de usuários multiplicou o suficiente para "colocar a oportunidade de promover a criatividade compartilhando o lucro com os internautas", explicou Hurley na Suíça. Além disso, em uma tentativa de evitar as cópias ilegais nos conteúdos do YouTube, Hurley acrescentou que a empresa está trabalhando na introdução de melhoras tecnológicas que permitam identificar os "direitos autorais" dos vídeos e garantir às gravadoras o pagamento pelo download de suas músicas. O YouTube, junto com o Google e a Wikipedia, está entre as cinco marcas que tiveram mais impacto em 2006, divulgou no domingo a pesquisa anual da revista Brandchannel.com.

Agencia Estado,

29 Janeiro 2007 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.