ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Auditoria aponta sobrepreço e atrasos na entrega de calendários dos Correios

Desde 2008, estatal já desembolsou quase R$ 3 milhões com a compra de brindes de ano-novo, mas análise da CGU apurou demora de até sete meses para produto chegar aos destinatários; em 2013, contrato de R$ 7 milhões foi revisto após constatação de fraude

13 de janeiro de 2014 | 2h 04
Andreza Matais e Fábio Fabrini - O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - Empresa estatal que promete agilidade em slogans ao estilo "Chega rapidinho" e "Mandou, chegou", os Correios gastaram nos últimos seis anos quase R$ 3 milhões com a compra de calendários de mesa distribuídos a funcionários e clientes com até sete meses de atraso.

Este ano Correios preveem gastar quase R$ 1 milhão com 619,2 mil calendários - Fábio Motta/Estadão - 11.07.2013
Fábio Motta/Estadão - 11.07.2013
Este ano Correios preveem gastar quase R$ 1 milhão com 619,2 mil calendários

Auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) descobriu que a demora recorrente na entrega está combinada ainda ao pagamento de valores mais altos por brindes de qualidade inferior. O contrato para os calendários ano 2013 previa a compra de 2 milhões de unidades por R$ 7,1 milhões. A média até então de unidades compradas era de 200 mil.

Trata-se da maior quantidade já contratada pela empresa, com valor 124,36% superior e material de pior qualidade na comparação com o ano anterior, segundo o relatório obtido pelo Estado. Para ter uma ideia, a Caixa Econômica Federal, que tradicionalmente presenteia com calendários, comprou 6 milhões de calendários 2013/2014 (três vezes mais que os Correios) a R$ 6,6 milhões (R$ 1,10 cada). De papel reciclado e com melhor qualidade.

A quantidade comprada pelos Correios, contudo, acabou revista após a CGU constatar que houve fraude na licitação da gráfica contratada para imprimir os calendários. Ao final, o valor pago pelos calendários/2013 foi de R$ 831,4 mil, ainda assim o maior desembolso da empresa pública para esse tipo de compra desde 2008.

A meta para 2014 é gastar ainda mais: quase R$ 1 milhão para enviar de presente 619,2 mil unidades, quantidade acima da média dos últimos seis anos. A empresa garante que desta vez o material vai ser encaminhado com celeridade e chegará às mãos dos destinatários pelo menos até o fim deste mês. "Já está sendo distribuído a todas as Diretorias Regionais e à Administração Central", informa a estatal.

A distribuição dos brindes a clientes, agências franqueadas, funcionários e aposentados se repete como estratégia de relacionamento. Mas, contrariando as juras de pontualidade, alma do negócio de entregas, análise da CGU apurou que a demora e o desperdício têm se incorporado à prática.

De 2009 para cá, os calendários nunca chegaram aos destinos antes do fim de janeiro. Em seis anos, os Correios entregaram 1,2 milhão de calendários. Em 2013, as entregas só ocorreram em março, segundo a CGU.

Os 231 mil impressos em 2012 só foram enviados em julho, quando já se poderiam descartar as folhinhas de sete meses; em 2010, a remessa de 220 mil ocorreu em abril, passados o réveillon, o carnaval e a Semana Santa. Segundo a auditoria, só houve alguma pontualidade em 2008, quando 150 mil peças chegaram no meio de janeiro.

Para a CGU, em relatório concluído em setembro, não há justificativa para as licitações terem ocorrido tardiamente, "sem considerar o prazo que as empresas contratadas despenderiam para produzir os calendários". Isso porque não se trata de uma compra emergencial. É notório que os anos recomeçam a cada 12 meses, no dia primeiro de janeiro.

Fraude. Vencedora do certame para os calendários de 2013, a A.R.Ribeiro, do Rio Grande do Sul, apresentou um atestado de capacidade técnica supostamente fraudado. A nota fiscal que comprovaria experiência nesse tipo de serviço foi emitida por uma gráfica ligada à A.R.Ribeiro, pois tinha o mesmo representante legal, e cancelada logo em seguida.

Os auditores registraram ainda que a fornecedora não funcionava no endereço cadastrado e não comprovou ter o maquinário necessário. Por causa das falhas, o contrato teve de ser suspenso quando 237,5 mil unidades haviam sido entregues, ao custo de R$ 831,4 mil. A CGU pediu a abertura de processo para eventual punição à fornecedora. Além disso, cobrou dos Correios explicações sobre a compra em quantidade oito vezes maior que a média de anos anteriores e com preço unitário 124% mais alto.

Cada calendário de 2012 custou R$ 1,56 por unidade; um ano depois, apesar da quantidade encomendada e do papel ser de qualidade inferior, os Correios pagaram à AR.Ribeiro R$ 3,50. Para a CGU, a empresa pública deveria ter ampliado sua pesquisa de preços para obter "propostas mais vantajosas para a administração pública".



Tópicos: Correios, Sobrepreço,

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo