Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > São Paulo
Início do conteúdo

Carro bloqueado e multas

09 de junho de 2012 | 3h 02
O Estado de S.Paulo

DETRAN-SP

Em 2008 vendi um veículo Subaru e, infelizmente, o comprador não fez a transferência do carro para seu nome e, pior, morreu em 2011. Embora eu já tenha providenciado o bloqueio do carro no Detran-SP, tenho recebido várias multas (excesso de velocidade, uso em dias de rodízio, estacionamento irregular e outras infrações). Pelo visto, a CET não atentou para o bloqueio do veículo pelo Detran. Não sei quem está usando o carro, mas e os agentes de trânsito? Por que o veículo ainda não foi apreendido? A indústria de multas é mais forte?

SAMUEL GUSMÃO LEMES DA SILVA / JUNDIAÍ

O Detran-SP informa que o leitor poderá se isentar das pontuações na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ao comprovar a data de venda do veículo nos órgãos autuadores. Informa, ainda, que coloca à disposição as informações sobre o veículo, incluindo o bloqueio de comunicação de venda, para os órgãos autuadores. Ressalta também que não pode obrigar o novo dono (ou seus herdeiros, em caso de falecimento) a transferir a propriedade do veículo. O cidadão que se sentir lesado deve entrar com uma ação na Justiça pedindo a apreensão do veículo e a adoção de providências por parte dos herdeiros do comprador falecido. Porém, destaca que o veículo com bloqueio não poderá ser licenciado, enquanto a pendência judicial não for resolvida. Se trafegar sem licenciamento, o veículo poderá ser apreendido em fiscalizações.

O leitor lamenta: O citado veículo continuará produzindo multas, o que me faz pensar que os responsáveis pelo trânsito só pensam em multar e que a dor maior é a do bolso.

ESCOLA DE ESCOTEIROS

CET não fiscaliza rua

Desisti de solicitar uma viatura da CET para a Rua José do Patrocínio, próxima ao Cemitério Vila Mariana, onde funciona uma escola de escoteiros. Todos os sábados a rua é palco de abusos e infrações por parte dos motoristas que levam os filhos ao local. Carros são deixados em fila dupla ou são largados na frente de garagens da rua e da vizinhança. Os moradores da região não têm mais sossego nos fins de semana!

NELSON JOSÉ ZOVICO

/ SÃO PAULO

A CET esclarece que, quando o leitor se deparar com veículos estacionados em frente a garagens, obstruindo a passagem e a saída dos imóveis, pode acionar diretamente a fiscalização do trânsito, ligando para o telefone 1188, que atende 24 horas com chamada gratuita.

O leitor reclama: Não aceito essa resposta, porque já liguei várias vezes para o serviço e a viatura dificilmente aparece para multar os infratores. Por que o monitoramento de ruas por agentes da CET é privilégio de alguns colégios particulares?

CONTA DE ÁGUA

Aumento sem explicação

Estou tendo um sério problema com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Guarulhos. Sempre segui a orientação de economizar água em casa. Acontece que o SAAE mudou o relógio de água de casa e, desde então, a conta subiu de R$ 70/mês para quase R$ 180, sem nenhuma justificativa. Já pedi ao SAAE a troca do relógio novamente para provar que a conta está errada e eles se negam a fazer isso. Por que será?

LENON HYMALAIA / GUARULHOS

O SAAE de Guarulhos informa que, em 1º/6, foi feita vistoria na ligação e constatado que não há irregularidades ou vazamentos internos que pudessem influenciar no consumo medido pelo hidrômetro, que está funcionando normalmente. Diz que no endereço há duas residências com quatro pessoas. Sendo assim, o que foi possível fazer foi providenciar o novo enquadramento para dois imóveis e revisar a conta de junho. Com o recálculo, o leitor recebeu um desconto na fatura (o valor passou de R$ 178,95 para R$ 99,62).

O leitor comenta: O desconto foi dado, mas continuo sem entender por que, sem nenhuma razão aparente, a conta vai de R$ 70 para R$ 178,95.

'LEI DAS CALÇADAS'

Conforto para os pedestres

Parabéns aos que estão lutando contra o estado lastimável das calçadas de São Paulo. Porém, para mim, o problema mais sério se refere ao plano inclinado em que a maioria das calçadas foi planejada, sempre à livre escolha dos proprietários, sem atinar que deveriam fazer o rebaixamento necessário entre o jardim e a calçada, a fim de torná-la plana e de fácil trânsito. Algumas calçadas são tão inclinadas que a única opção é andar na guia ou na sarjeta.

JANDYRA RAMOS G. WATERS

/ GUARUJÁ




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Haitianos só fazem uma refeição por dia e dormem no chão em SP

  • Haitianos só fazem uma refeição por dia e dormem no chão em SP
  • Fóruns Estadão Brasil 2018 debate educação no Brasil
  • O dia seguinte no morro Pavão-Pavãozinho



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo