ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Governos firmam parcerias e ficam mais eficientes para cobrar impostos

Líderes do ranking, Rio e Pernambuco dizem que ajustes deram base para a ampliação dos investimentos

01 de dezembro de 2013 | 2h 18
WILSON TOSTA / RIO , ANGELA LACERDA / RECIFE - O Estado de S.Paulo

Ao explicar a alta dos investimentos no Rio de Janeiro, a Secretaria da Fazenda do Estado informou que a origem do fenômeno está em um ajuste fiscal feito em 2007. A partir disso, além de promover obras com recursos próprios, foi possível buscar mais financiamentos e parcerias com o governo federal.

A Linha 4 do Metrô, por exemplo, é bancada com empréstimos, e o chamado Arco Metropolitano do Rio é parcialmente alimentado com recursos federais.

Nos 12 meses encerrados em agosto de 2013, os investimentos do Rio atingiram a marca de R$ 6,4 bilhões, cifra 154% superior à registrada quatro anos antes, em termos reais (já considerado o efeito da inflação).

No ano eleitoral de 2014, segundo a secretaria, não há previsão de aceleração ainda maior de investimentos. "O ritmo não deve acelerar significativamente em relação aos dois últimos anos, pois, na sua maioria, os investimentos são referentes à Copa e à Olimpíada e, por isso, tem cronograma e prazo de entrega."

O Rio também conseguiu elevar sua arrecadação em 14% acima da inflação desde 2009. Segundo o governo, isso se deve ao fato de a economia do Estado ter crescimento acima da média nacional nos últimos anos. "O Estado investiu significativamente na sua administração tributária. Do lado da Secretaria de Fazenda foram realizados, desde 2007, cinco concursos para auditores fiscais e houve investimentos em tecnologia da informação."

ICMS. Pernambuco, o segundo colocado no ranking da elevação dos investimentos, comemora um aumento de 28% na arrecadação de ICMS nos últimos quatro anos. Com isso, segundo o secretário executivo de Planejamento, Orçamento e Captação da Secretaria Estadual de Planejamento, Edilberto Xavier, foi possível deslanchar uma série de investimentos. "Somente em 2012 foram R$ 3 bilhões", afirmou. "E continuamos investindo em 2013".

No ano que vem, o governo estadual prevê investir R$ 4 bilhões em obras por todo o Estado, com destaque para as áreas de água e saneamento (R$ 750 milhões), educação, saúde e segurança (R$ 670 milhões) e mobilidade (R$ 510 milhões).




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo