Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > São Paulo
Início do conteúdo

Nova avenida deve ter mais alagamentos

13 de dezembro de 2013 | 2h 01
Roberta Pennafort / RIO - O Estado de S.Paulo

Aberta ao tráfego há apenas 40 dias, a Via Binário, na Zona Portuária, está sujeita a novos alagamentos. O problema ocorre por causa da ausência de um sistema alternativo de drenagem que possa ser usado enquanto não acabam as obras de infraestrutura na região - a previsão é que isso só aconteça em 2016.

O engenheiro Antonio Eulalio, conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ), acredita que não haja saída a curto prazo para tornar a região - e toda a cidade - resistente às chuvas fortes.

"Ali deveria ter sido feita alguma interligação com a rede de escoamento. Sei das complicações de uma obra urbana, mas deviam ter pensado num by-pass (caminho alternativo para as águas)", disse Eulalio.

O prefeito Eduardo Paes, que fez a inauguração da via em 2 de novembro, considerou o alagamento "inadmissível": "Não pode uma intervenção daquele porte e daquela importância apresentar o alagamento visto ontem (anteontem). A concessionária vai ser multada".

Drenagem. A Via Binário já tem sua rede de drenagem concluída, mas ela ainda não está ligada ao sistema de deságue. Isso só poderá ser feito com a derrubada completa do elevado da Perimetral, segundo a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto.

Com a conclusão das intervenções, espera-se uma "solução definitiva" para a questão das enchentes. Serão 47 quilômetros de galerias de águas pluviais e redes de drenagem, o que vai significar uma capacidade de escoamento dez vezes superior à atual.

As bombas de sucção usadas na Via Binário foram suficientes para conter os bolsões no temporal da semana passada, mas não no de terça e anteontem. A concessionária Porto Novo, empresa contratada pela prefeitura para executar as obras na área do Porto Maravilha, aposta num reforço emergencial de cinco novas bombas para evitar mais alagamentos.

Antonio Eulalio defende que só uma reformulação em larga escala da rede de escoamento de águas pluviais dará jeito nas enchentes.


Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Haitianos só fazem uma refeição por dia e dormem no chão em SP

  • Haitianos só fazem uma refeição por dia e dormem no chão em SP
  • Fóruns Estadão Brasil 2018 debate educação no Brasil
  • O dia seguinte no morro Pavão-Pavãozinho



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo