12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Você está em Economia
Início do conteúdo

Sobe custo para estacionar em São Paulo

Mensalidade dos estacionamentos cresceu 11,41% em um ano, para inflação de 6,27%; valor da primeira hora ficou ainda mais caro: 15,38%

15 de dezembro de 2013 | 2h 05
ANNA CAROLINA PAPP - O Estado de S.Paulo

A cada ano fica mais caro estacionar em São Paulo. Puxada pela alta em regiões como Vila Olímpia, Itaim e Brooklin, a mensalidade nos estacionamentos da cidade teve alta de 11,41% em relação ao ano passado, e a primeira hora, de 15,38%.

Segundo levantamento da consultoria Colliers, em 2012, o preço médio da mensalidade em estacionamentos nos corredores centrais da cidade de São Paulo era de R$ 298. Este ano, passou para R$ 332. Já a primeira hora, cuja média antes era de R$ 13, passou para R$ 15. O valor da diária foi o que menos aumentou, avaliado em R$ 36,50 - 7,35% maior do que em 2012. No entanto, todas as categorias superam a inflação oficial, o IPCA, que no período (julho de 2012 a julho de 2013) foi de 6,27%.

Para Sandra Ralston, vice-presidente da Colliers, as altas consecutivas no preço se devem a um forte desequilíbrio entre oferta e demanda. "São duas questões básicas: o aumento da frota e a diminuição dos espaços destinados a estacionamentos, principalmente devido ao crescimento urbano, a áreas comerciais e residenciais", analisa. "Se você olhar bairros como Itaim, Vila Olímpia e Berrini, basicamente 80% dos espaços que antes eram terrenos destinados a estacionamentos hoje são incorporações imobiliárias."

Dados do Sindicato das Empresas de Garagens e Estacionamentos do Estado de São Paulo (Sindepark) atestam a diminuição do espaço destinado à atividade: a cidade tem hoje 6 mil estacionamentos, com média de 95,54 vagas cada, totalizando pouco mais de 573 mil vagas. Em 2009, havia cerca de 1 milhão de vagas na região metropolitana.

Preços. Os estacionamentos com preços mais elevados estão localizados na Zona Sul. Segundo o estudo, a região da Faria Lima, corredor de escritórios mais nobre da cidade, tem a mensalidade mais cara, com média de R$ 469,50 - maior do que em cidades como Atlanta (R$ 220,80) e Columbia (R$ 149,50), nos Estados Unidos, e Berlim (R$ 195,50), na Alemanha. Já o preço para deixar o carro por uma hora nos arredores da avenida fica em torno de R$ 16 - quase 60% do valor médio de uma refeição fora de casa, segundo a pesquisa Refeição Assert Preço Médio 2013.

A região que teve maior aumento na mensalidade neste ano foi a Vila Olímpia, com 29,77%, seguida pelo Itaim, com 24,83% - que, no entanto, lidera o ranking do valor da diária, com aumento de 37,80%, o que equivale a mais de seis vezes a inflação oficial do período.

Segundo levantamento do Sindepark, o Itaim Bibi é a região com maior concentração de estacionamentos. Mesmo assim, os 531 terrenos parecem não dar conta da demanda, provocando até listas de espera (leia abaixo).

Já a região da Paulista apresentou aumento menos representativo nos valores da mensalidade e da primeira hora, bem como redução de 1,54% no valor da diária, em média R$ 32. "A Paulista tem maior infraestrutura de metrô, além de ser uma região mais consolidada", diz Sandra. "O maior aumento pode ser visto no centro, onde foram retiradas vagas, e em lugares como Itaim e Faria Lima, que tiveram um desenvolvimento urbano e imobiliário muito grande nos últimos anos", diz.

Para ela, além da expansão avassaladora dos empreendimentos imobiliários, a supervalorização dos preços também é reflexo do déficit do transporte público. "O problema maior hoje é que São Paulo vive um caos em relação ao transporte público. A tendência é só piorar, porque você continua tendo um aumento da frota, carece de infraestrutura de transporte público e tem diminuição de vagas. Logo, o aumento de preço para os próximos anos tende a ser sempre superior à inflação."

Rio. No Rio de Janeiro, a alta foi ainda mais significativa. O preço médio da mensalidade dos estacionamentos cresceu 18,1% em um ano - quase três vezes a inflação oficial do período. As "vagas de ouro" continuam na região central, onde a média do valor mensal que o carioca paga para estacionar é de R$ 618 - R$ 145 a mais do que a média na cidade.

O aumento no valor da diária também foi superior ao de São Paulo, chegando a 11%. Os valores mais salgados podem ser encontrados em Copacabana, Ipanema e Leblon, onde uma diária sai por volta de R$ 70. Já o valor médio da primeira hora fica inferior ao da capital paulista: em média R$ 13,50. A região do Flamengo, no entanto, se destaca por ter dobrado o preço de 2012 para 2013, alcançando R$ 14.





Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo