Avião se parte em dois ao pousar na Guiana

163 pessoas estavam a bordo; nenhuma pessoa morreu, disse presidente do país

AP

30 Julho 2011 | 08h46

GEORGETOWN - Um avião da companhia Caribbean Airlines com 163 pessoas a bordo sofreu um acidente ao pousar na Guiana na manhã de sábado, 30, e se partiu em dois, deixando diversos feridos. Nenhuma pessoa morreu, disse o presidente Bharrat Jagdeo.

 

O avião, um Boeing 737-800, aparentemente não conseguiu parar, saiu da pista de 2.200 metros do aeroporto internacional Cheddi Jagan e estourou a grade de proteção. O tempo era chuvoso no momento do acidente.

 

O avião parou a 60 metros de um barranco e por pouco não caiu, o que poderia ter causado fatalidades, disse o presidente da Guiana. "Estamos muito, muito agradecidos que mais pessoas não ficaram feridas", ele afirmou depois de as autoridades fecharem o aeroporto, dexando centenas de passageiros sem embarcar e cancelando dezenas de voos.

 

Passageiros que estavam a bordo do voo 523 contaram que começaram a aplaudir quando o avião tocou a pista e em seguida o pouso começou a ter problemas. "De repente, só se ouvia gritos", disse a passageira Geeta Ramsigh, uma norte-americana de 41 anos. Ela pulou para fora do avião pela asa e desceu na rua de terra depois da grade de proteção da pista, aparentemente apenas com machucados nos joelhos.

 

Ninguém ainda havia aparecido para resgatá-la quando "um táxi surgiu do nada e me cobrou US$ 20 para me levar para o terminal. Tive de pagar, mas em uma emergência, ninguém cobra alguém assim", ela disse, sentada em uma cadeira na área de embarque, rodeada por familiares. Ela voltava pela segunda vez em 30 anos ao país onde nasceu. 

 

As autoridades se esforçavam para retirar os passageiros em meio a condições ruins de iluminação e sem equipamentos de emergência. A quantidade de feridos ainda não era clara até o momento.

 

O avião havia partido do aeroporto internacional John F. Kennedy, em Nova York (EUA), e fez uma escala em Trinidad, no Caribe, antes de pousar na Guiana. A aeronave carregava 157 passageiros e seis tripulantes.

 

O acidente do voo BW 523 é o pior da história recente do país e um dos poucos acidentes aéreos sérios envolvendo uma companhia de Trinidad. A aeronave é a maior em operação na região e fazia pelo menos cinco voos diários.

Mais conteúdo sobre:
Aviação acidente aéreo Guiana avião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.