Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Internacional
Início do conteúdo

Cidade da Indonésia proíbe mulheres na garupa de motocicletas

Prefeito diz que objetivo da medida é preservar valores morais do Islã.

03 de janeiro de 2013 | 15h 24

Uma cidade na província de Achém, na Indonésia, proibiu que as mulheres subam na garupa de motocicletas conduzidas por homens.

O objetivo da medida, segundo Suaidi Yahya, prefeito de Lhokseumawe, é resguardar os valores morais do Islã.

O governo distribuiu panfletos para alertar órgãos públicos e moradores sobre a nova regulação.

Achém, no oeste da Indonésia, é a única província do país que segue a Sharia, a lei religiosa islâmica.

De acordo com os termos da nova regulação, as mulheres só poderão pegar carona em motocicletas adaptadas para carregar o passageiro ao lado do condutor.

Para o prefeito, ao se sentarem atrás do motorista, as mulheres "violam os valores islâmicos".

"Quando se vê uma mulher na garupa de uma moto, ela parece um homem. Mas caso ela se sente ao lado do condutor, em motocicletas adaptadas para esse fim, ela parece uma mulher de verdade", argumentou Yahya.

O prefeito aproveitou para acrescentar que os passageiros de motocicletas que se sentam ao lado dos condutores têm menor risco de caírem.

O governo local irá avaliar a regulação dentro de um mês, e poderá torná-la lei, Yahya assinalou.

Quando questionado se as mulheres que não seguirem as regras serão punidas, ele disse: "Tão logo a regulação ganhe status de lei, automaticamente os transgressores sofrerão sanções".

A regulação foi criticada por conhecidos ativistas muçulmanos como Ulil Abshar Abdalla, que atua na capital da Indonésia, Jacarta.

"Não há qualquer menção na Sharia sobre como se deve conduzir uma motocicleta. Também não há qualquer passagem sobre o assunto no Corão (o livro sagrado dos muçulmanos) ou nos Hadiths (o segundo texto mais sagrado na religião islâmica depois do Corão)", disse Adballa em sua conta do Twitter.

"Em um país democrático, o que é mencionado na Sharia deve sofrer escrutínio público se o governo visa a aprovar uma regulação como lei", concluiu. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo