Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Internacional
Início do conteúdo

Contra ofensas a Maomé, greve geral atinge Bangladesh neste domingo

Comércio e escolas estão fechados e transporte público foi interrompido

23 de setembro de 2012 | 11h 24
estadão.com.br

DACA - Uma greve geral convocada neste domingo, 23, em Bangladesh fechou escolas e empresas. Além disso, o transporte público foi interrompido. A greve foi convocada por grupos islâmicos conservadores que protestam contra o filme "Inocência dos Muçulmanos" e charges publicadas no semanário francês Charlie Habdo, considerados ofensivos ao profeta Maomé.

Protestos em Bangladesh contra filme e charges de Maomé - Andrew Biraj/Reuters
Andrew Biraj/Reuters
Protestos em Bangladesh contra filme e charges de Maomé

Veja também:
link Paquistão oferece prêmio pela morte de diretor de filme
link Combates entre governistas e milícias matam ao menos 4 na Líbia

Milhares de policiais foram mobilizados na capital, Daca, para tentar evitar a violência durante a paralisação. Aos domingos, as ruas ficam cheias de gente. Bangladesh tem 153 milhões de habitantes, dos quais 90% são muçulmanos.

De acordo com a AFP, citando o chefe de polícia Abul Kashem, cerca de 40 ativistas foram presos ao montar uma barricada em uma das avenidas principais da cidade e atirar pedras contra policiais.

No sábado, cerca de 50 pessoas ficaram feridas e dezenas foram presas, quando manifestantes entraram em confronto com a polícia. Vários veículos foram queimados, incluindo uma van policial.

Outros protestos

Em Israel, uma mulher palestina tentou esfaquear um policial israelense em uma rua do leste de Jerusalém neste domingo, aparentemente como um protesto contra o filme, afirmou o porta-voz da polícia de Israel Micky Rosenfeld. "Uma mulher árabe tentou esta manhã atacar um policial israelense, que conseguiu controlar a situação.

Ninguém ficou ferido", disse o porta-voz. Segundo ele, a mulher, de 32 anos, foi presa e teve sua faca apreendida. "Questionamentos preliminares revelaram que ela estava tentando protestar contra o filme", acrescentou Rosenfeld.

Com AP e Dow Jones






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo