Google apresenta sistema de acesso a arquivos do Museu do Holocausto

Mais de 130 mil imagens em alta resolução de vítimas do massacre nazista estão disponíveis no site

Agência Estado

26 Janeiro 2011 | 13h37

Apresentação do novo sistema de navegação do Museu do Holocausto.

 

JERUSALÉM - O Google apresentou nesta quarta-feira, 26, em Tel Aviv, um novo sistema que facilita o acesso aos arquivos fotográficos e documentários do Museu do Holocausto, o Yad Vashem, em Jerusalém.

 

O novo sistema, chamado Reconhecimento Óptico de Caracteres (OCR, da sigla em inglês), foi apresentado pelo diretor do Museu do Holocausto, Avner Shalev, e o diretor executivo da Google em Israel, Yossi Matias.

 

Os dois reforçaram a importância da iniciativa, anunciada na véspera do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, para que seja lembrado o massacre de 6 milhões de judeus pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Em entrevista coletiva, Shalev explicou que um dos objetivos da instituição que preside "é a busca de formas inovadoras para que a enorme quantidade de informação de nossos arquivos esteja acessível a um público cada vez maior".

 

O diretor ainda afirmou que nesse empenho "o Google é um parceiro que vai nos ajudar a chegar às novas gerações, a um público jovem". "Trabalhamos para levar à rede a herança cultural e a história do mundo", comentou Matias.

 

Em uma primeira fase, o novo sistema permitirá o acesso em alta resolução de 130 mil fotografias de vítimas do massacre nazista, que podem ser localizadas através dos arquivos do Museu do Holocausto.

Mais conteúdo sobre:
Israel Holocausto museu Google

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.