Inundações matam 40 na África do Sul e 10 em Moçambique

Pelo menos 40 pessoas morreram ou desapareceram por causa das inundações das últimas semanas na África do Sul, e milhares de casas foram destruídas no vizinho Moçambique, onde já foram registradas dez vítimas fatais, disseram autoridades na segunda-feira.

REUTERS

17 Janeiro 2011 | 18h00

As fortes chuvas começaram no final de dezembro e continuaram durante a maior parte deste mês, provocando enchentes nos dois países. Novos temporais no fim de semana fizeram rios da região transbordar.

Sete das nove províncias sul-africanas decretaram estado de calamidade, e o Exército foi colocado de prontidão para ajudar a retirar moradores de áreas próximas a grandes represas.

"Vamos continuar fazendo tudo o que estiver ao nosso alcance para minimizar a perda de vida e os danos às propriedades", disse o ministro sul-africano da Governança Cooperativa, Sicelo Shiceka.

A Transnet, empresa sul-africana de logística, disse na semana passada que as fortes chuvas interromperam suas operações ferroviárias, afetando as exportações de carvão e milho.

A safra excedente de 2009/10 deve evitar a escassez de milho neste ano na África do Sul, mas o clima excessivamente úmido pode afetar a produção de soja e girassol, disse na semana passada à Reuters o executivo-chefe da entidade agrícola Grain SA.

Em Moçambique, cerca de 13 mil pessoas tiveram danos nas suas casas ou precisaram ser removidas devido às chuvas e ventos, disse a Rádio Moçambique (estatal) na segunda-feira.

(Reportagem de Jon Herskovitz, Peroshni Govender e Olivia Kumwenda em Johannesburgo e Charles Mangwiro em Maputo)

Mais conteúdo sobre:
AFRICA INUNDACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.