Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Internacional
Início do conteúdo

Mujica prevê dificuldades na implantação da legalização da maconha

Presidente cita Einstein: 'É absurdo mudar os resultados de uma equação repetindo a fórmula'

11 de dezembro de 2013 | 11h 21
O Estado de S. Paulo

MONTEVIDÉU - O presidente do Uruguai José Mujica defendeu nesta quarta-feira, 11, o projeto que legaliza o comércio e o cultivo de maconha no país, aprovado ontem no Senado, como medida para lutar contra a violência relacionada ao tráfico de drogas e previu dificuldades na implantação do projeto. O líder uruguaio ressaltou no entanto que era preciso mudar uma política de drogas que não estava dando certo no país.

Uruguaios favoráveis à lei fizeram passeata no Congresso - Andres Stapff / Reuters
Andres Stapff / Reuters
Uruguaios favoráveis à lei fizeram passeata no Congresso

"Teremos dificuldades. Com certeza, mas uma dificuldade maior é enfrentar as mortes provocadas por acertos de contas que temos vinculadas ao narcotráfico", disse Mujica ao diário La República. "Dizem que não conseguimos controlar nem a torcida do Peñarol, quanto mais isso (a maconha), mas nós vamos tentar."

O presidente insistiu que o projeto de lei abre caminho para discussões ainda inéditas no mundo. "Albert Einstein dizia que o maior absurdo é tentar mudar os resultados de uma equação repetindo a mesma fórmula", argumentou. " Por isso queremos provar outros métodos."

Oposição. Entre as principais críticas dos senadores que se opõem ao projeto de lei que legaliza no Uruguai a produção e a venda - por parte do Estado - de maconha, estão os "efeitos nefastos para a saúde pública" e a possibilidade de a nova legislação atrair o "narcoturismo" para o país.

Na opinião do senador Alfredo Solari, do Partido Colorado, a nova lei "não cumpre nenhuma das salvaguardas éticas da experimentação com seres humanos".

"A maconha causa danos aos seres humanos. O nosso governo e o restante do mundo não deveriam fazer experiências com os uruguaios", disse.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo