ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Acordos com França darão acesso a novas tecnologias

12 de dezembro de 2013 | 20h 28
LISANDRA PARAGUASSU - Agência Estado

A visita do presidente da França, François Hollande, a Brasília, nesta quinta-feira, 12, teve como foco o interesse econômico do país europeu na América do Sul, mas terminou com um legado maior para o Brasil. Entre os mais de 10 acordos assinados, em pelo menos três o País terá acesso a novas tecnologias em áreas estratégicas como informática, defesa e saúde.

Um dos acordos destacados pela própria presidente Dilma Rousseff será um plano de trabalho em que o Brasil vai comprar dos franceses um supercomputador para apoio a pesquisas brasileiras. Serão instalados dois centros de pesquisa, um em Petrópolis (RJ) e outro no Rio de Janeiro e haverá transferência de tecnologia para o Brasil desenvolver sistemas de supercomputação.

"Atualmente, apenas dez países detêm capacidade instalada nesse campo. Com a implementação desse plano de trabalho, o Brasil vai entrar para esse restrito grupo e vai desenvolver atividades de pesquisa em áreas estratégicas", disse a presidente.

O País também irá lucrar com o acordo para produção e depois lançamento de um satélite geoestacionário, em um trabalho conjunto entre a empresa francesa Thales Alenia e a brasileira Visione. Uma terceira parceria foi assinada entre a Fundação Osvaldo Cruz e a empresa Sanofi Pasteur, que irá dar assistência técnica para que o Brasil desenvolva uma vacina heptavalente injetável.

Do outro lado, o interesse maior dos franceses é não apenas ampliar a presença no enorme mercado brasileiro, mas convencer os empresários brasileiros a investir na França. Um dos maiores negócios almejados pelos franceses, no entanto, é a venda de caças para a Força Aérea Brasileira, uma compra eternamente negociada e nunca concretizada.

O lobby da Dassault, empresa fabricante dos caças Rafale, foi representado pelo próprio presidente da empresa, Eric Trappier. No entanto, os próprios franceses admitem que, em meio à crise econômica e com eleições no Brasil em 2014, não há perspectiva próxima para uma solução.



Tópicos: Dilma, Hollande

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo