ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Mensalao

Ao renunciar, Costa Neto repete gesto de 2005

A diferença é que agora ele está enquadrado pela Lei da Ficha Limpa e fica inelegível até 2029, quando terá 80 anos

05 de dezembro de 2013 | 18h 51
Ricardo Brito - Agência Estado

Ao renunciar ao cargo de deputado federal, após ter decretada sua prisão por envolvimento no mensalão, o deputado Valdemar Costa Neto repete o gesto feito há oito anos, quando foi denunciado por ter recebido dinheiro do mensalão. A diferença entre os dois momentos é que, enquanto em 2005 ele preservou os direitos políticos e se reelegeu duas vezes, o cacique do PR - agora enquadrado na Lei da Ficha Limpa - ficará inelegível até 2029 e dificilmente voltará a vida pública, pois só será reabilitado politicamente aos 80 anos.

Ex-deputado só poderá voltar para a política quando tiver 80 anos - Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão
Ex-deputado só poderá voltar para a política quando tiver 80 anos

Há oito anos, o então presidente do extinto Partido Liberal renunciou à Câmara ao admitir que havia recebido dinheiro irregular do Partido dos Trabalhadores com a justificativa de cobrir despesas de campanha. O PL firmou com o PT a chapa presidencial vencedora de Lula com José Alencar. "Fui induzido ao erro quando aceitei receber recursos destinados à campanha sem a devida documentação que oficializasse a doação", discursou Valdemar na época.

Na segunda despedida da Câmara, após uma reeleição que contou com o voto "puxador" do palhaço Tiririca e um mandato voltado para atuação nos bastidores, Valdemar não subiu à tribuna. Ele se valeu do colega de partido Luciano Castro (RR) para dizer, em carta, que iria pagar por "faltas" que reconheceu.

Afirmou ter sido condenado por crimes que não cometeu - punições por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e ainda pagar multa de R$ 1 milhão. "Serenamente passo a cumprir uma sentença de culpa, flagrantemente destituída do sagrado direito ao duplo grau de jurisdição", leu Castro, diante de um plenário praticamente vazio.

O agora ex-deputado do PR disse que não cogitou "impor ao Parlamento a oportunidade de mais um constrangimento institucional".

Assim, Costa Neto segue os passos do ex-presidente do PT José Genoino (SP), que há dois dias renunciou o mandato na Câmara dos Deputados. Ele conclamou o Poder Legislativo a tomar "providências enérgicas" e ter "coragem para enfrentar os déspotas" - numa crítica indireta ao Supremo.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo