ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Cenário adverso nos Estados estimula ações dos titulares

07 de dezembro de 2013 | 20h 01
João Domingos e Bernardo Caram - O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - A liberação de verbas dos ministros para suas bases eleitorais e a participação em todo tipo de solenidade, mesmo que não tenha relação com a pasta que comandam, em alguns casos têm como motivo o cenário eleitoral adverso que enfrentarão - a despeito da proximidade com o Palácio do Planalto.

O melhor exemplo é a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Ocupada com os projetos do governo federal, ela não dispõe de tempo para se fazer presente no Paraná e se tornar mais conhecida dos eleitores. Como saída, Gleisi tem dado escapadas de Brasília para comandar cerimônias de entrega de máquinas a cidades paranaenses, como fez na sexta-feira passada, quando distribuiu 24 motoniveladoras e 40 caminhões basculantes.

De acordo com as últimas pesquisas de intenção de votos, Gleisi ainda está longe do líder, o tucano Beto Richa, que pode ser reeleito no primeiro turno se o PMDB não lançar candidato para embolar a disputa.

Em São Paulo, a mesma situação enfrenta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. De acordo com a mais recente pesquisa Datafolha sobre a intenção de votos para o governo paulista, Padilha tem 4% da preferência dos eleitores. As sondagens mostram o governador Geraldo Alckmin (PSDB) vencendo no primeiro turno, com 43% das intenções de voto.

O certo é que o ministro intensificou suas visitas a São Paulo nos últimos dias. E a presidente Dilma Rousseff pretende deixá-lo à frente da Saúde até o limite para a saída dos que pretendem se candidatar a algum cargo eletivo no ano que vem - dia 5 de abril - para que possa ser mais identificado com programas de grande apelo eleitoral, como o Mais Médicos.



Tópicos: Dilma, Ministros, Esplanada

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo