ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Comissão pede que Dilma e Congresso reconheçam que JK foi assassinado

Relatório concluiu que o ex-presidente foi vítima de um complô liderado pelo então general João Batista Figueiredo; na versão oficial JK morreu em um acidente de carro

10 de dezembro de 2013 | 16h 36
Pedro Venceslau - O estado de S. Paulo

São Paulo - Depois de apresentar nesta terça-feira, 10, a conclusão de um relatório elaborado nos últimos nove meses, a Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo declarou que o ex-presidente Juscelino Kubistchek foi assassinado e vítima de um complô liderado pelo general João Batista Figueiredo.

Natalini pretende pedir exumação dos ossos do motorista - Pedro Venceslau/Estadão
Pedro Venceslau/Estadão
Natalini pretende pedir exumação dos ossos do motorista

O grupo pedirá ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à Presidência da República que retifiquem a causa mortis de JK.

Oficialmente, o ex-presidente morreu em um acidente de carro na rodovia Presidente Dutra, em 22 de agosto de 1976. A tese apresentada pelo documento, que tem 30 páginas e é dividido em 92 provas, é que o motorista de JK, Geraldo Ribeiro, foi morto com um tiro antes da colisão do automóvel.

"Vamos pedir uma nova exumação dos ossos de Ribeiro", afirmou o vereador Gilberto Natalini (PV), presidente da Comissão. A primeira exumação foi feita em 14 de agosto de 1996.

Em depoimento que consta do relatório, o perito criminal Alberto Carlos de Minas declarou ter visto um furo no crânio do motorista com "característica de buraco provocado por projétil de arma de fogo".

Na ocasião, segundo o perito, as autoridades de Minas Gerais teriam proibido que ele fotografasse o crânio, alegando que ele estaria "esfacelado".






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo