ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Cotas ajudam a superar as injustiças, defende Dilma

03 de fevereiro de 2014 | 18h 09
RICARDO BRITO, RICARDO DELLA COLETTA E DAIENE CARDOSO - Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 3, que o desafio de 2014 é localizar as 500 mil famílias extremamente pobres que ainda não foram beneficiadas pelo programa Brasil Sem Miséria. Em mensagem lida pelo Quarto-Secretário do Congresso, senador João Vicente de Macêdo Claudino (PTB-PI), como abertura dos trabalhos legislativos de 2014, a presidente disse que o País não está cuidando apenas da "porta de entrada".

Dilma disse que as cotas raciais na educação são essenciais para superar as injustiças. Na mensagem, ela citou ações para aumentar o repasse de recursos para o setor, como a destinação do repasse dos royalties do petróleo do pré-sal. Pela segunda vez no pronunciamento, a presidente citou o programa Mais Médicos. Segundo ela, o programa é uma resposta às demandas dos protestos de meados do ano passado.

Dilma citou a transferência de rodovias para a iniciativa privada em 2013. Ela disse que cinco leilões foram realizados ano passado, com deságio elevado, o que demonstra "a grande atratividade dos investimentos". Estão previstos neste ano novos trechos para serem transferidos à iniciativa privada. Na mensagem, ela disse também que neste ano o modelo de concessões de ferrovias, que está pronto, deve ser implementado.

A presidente fez um balanço da exploração do setor de óleo e gás no País. Segundo ela, houve licitações no modelo de concessões e o primeiro leilão pelo modelo de partilha, o do Campo de Libra. Ao citar as reservas "extraordinárias" de Libra, ela comemorou o "forte" consórcio, com a participação da Petrobras, que arrematou a exploração do local, com reservas entre 8 e 10 bilhões de barris de petróleo de "excelente qualidade".

Dilma também mencionou os leilões no setor de energia. Ela destacou o aumento do acesso das pessoas à energia, com o programa Luz Para Todos, que em 2014 deve levar eletricidade a mais de 1,1 milhão de habitantes. A presidente exaltou as concessões dos aeroportos à iniciativa privada, o que deve acelerar a realização dos investimentos e atender à crescente demanda de passageiros.

Na mensagem, Dilma disse que os investimentos em mobilidade urbana eram prioridade do seu governo antes mesmo das manifestações de julho. Ao mencionar que colocou à disposição, após os protestos, R$ 50 bilhões a mais, ela disse que não vão faltar recursos para o setor.





Tópicos: Dilma, Congresso

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo