ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Dilma e Lula se reúnem com PP e acertam apoio

30 de novembro de 2013 | 19h 48
ERICH DECAT - Agência Estado

Em encontro realizado na tarde deste sábado com integrantes da cúpula do Partido Progressista (PP), a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acertaram o apoio da legenda à reeleição da petista mesmo nos Estados onde houver racha com o PT.

O encontro, que durou cerca de duas horas e meia, ocorreu na Granja do Torto, em Brasília, e contou com a presença do presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), do ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, e do líder da bancada do partido na Câmara, Eduardo da Fonte (PE). "Fizemos um raio x dos problemas nos Estados e decidimos que onde não houver como unificar os palanques, os nossos candidatos vão apoiar a reeleição da presidente Dilma", disse Eduardo da Fonte ao Broadcast Político.

Atualmente há rachas entre a legenda e o PT nos Estados do Rio Grande do Sul, Alagoas e Amazonas. O encontro com o PP foi realizado após Dilma e Lula conversarem com a cúpula do PMDB na tarde de hoje. O presidente interino do PMDB, Valdir Raupp, disse na saída que o partido pediu ao PT para continuar no governo de Sérgio Cabral, no Rio de Janeiro, pelo menos até março, segurando assim a candidatura de Lindbergh Farias. Raupp afirmou ainda que os dois partidos teriam chegado a acordo para manter o apoio petista à família Sarney no Maranhão.

"No Rio de Janeiro acho que tem de dar um tempo porque está muito claro que a divisão do PT e do PMDB deve prejudicar as duas candidaturas, é o que já está acontecendo nas pesquisas", afirmou o presidente interino do PMDB. "Foi feito um apelo pelo presidente Michel Temer e por nós para que se espere até março", complementou.

A situação do Rio de Janeiro é tida como a mais complexa porque o PT não aceita abrir mão da candidatura de Lindbergh Farias e o PMDB insiste em ter na disputa o vice de Cabral, Luiz Fernando Pezão. O PT faria o rompimento neste final de semana, mas adiou a decisão a pedido de Lula.



Tópicos: Dilma, Lula, PP

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo