ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Dilma lamenta morte de Déda, 'um grande amigo'

02 de dezembro de 2013 | 11h 09
SANDRA MANFRINI - Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff lamentou agora pela manhã, por meio de nota, a morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT). Segundo Dilma, o "Brasil e o Estado de Sergipe perderam hoje um grande homem". Para a presidente, seja como prefeito, deputado ou governador, Marcelo Déda "exerceu a Política com P maiúsculo".

"Eu perdi hoje um grande amigo, daqueles das horas boas e más. Déda era capaz de recitar poesia, inclusive as próprias, com a força de um grande artista e a naturalidade de um repentista. Ao mesmo tempo, era capaz de aprimorar uma discussão com uma lógica irretocável", diz a presidente.

A presidente Dilma vai ao velório de Déda, que morreu nesta madrugada em São Paulo, vítima de câncer no estômago. O horário da viagem da presidente ainda não foi definido, mas Dilma deve embarcar para Aracaju (SE) logo após cerimônia que será realizada no Palácio do Planalto de assinatura do primeiro contrato de exploração do pré-sal.

Segue a íntegra da nota de pesar da presidente Dilma Rousseff, divulgada pela assessoria do Palácio do Planalto.

Nota de pesar

O Brasil e o Estado de Sergipe perderam hoje um grande homem. Como prefeito, deputado e governador, Marcelo Deda exerceu a Política com P maiúsculo. A sua trajetória foi marcada pela dedicação em transformar para melhor a vida das pessoas, especialmente as mais humildes.

Eu perdi hoje um grande amigo, daqueles das horas boas e más. Deda era capaz de recitar poesia, inclusive as próprias, com a força de um grande artista e a naturalidade de um repentista. Ao mesmo tempo, era capaz de aprimorar uma discussão com uma lógica irretocável.





Tópicos: Marcelo Déda, Morte

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo