ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Dilma reforça apoio ao Mais Médicos no rádio

23 de dezembro de 2013 | 12h 09
Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff destacou novamente o programa "Mais Médicos" na edição desta segunda-feira, 23, do programa semanal de rádio "Café com a Presidenta". Dilma reiterou que a prioridade é levar atendimento às periferias das médias e das grandes cidades, aos municípios das regiões Norte e Nordeste, aos distritos indígenas e às populações quilombolas. Informou que o programa já levou 6.658 profissionais a 2.177 municípios. Conforme balanço apresentado nesta segunda-feira, 23, parcela de 23 milhões de pessoas já foi atendida com essa iniciativa. O programa será uma das principais bandeiras do PT nas eleições gerais do ano que vem.

Dilma destacou que o objetivo do governo é levar 13 mil médicos até março e abril do ano que vem para todas as regiões do País que pediram profissionais de saúde. "Aí, quando a gente alcançar essa meta, o Mais Médicos estará beneficiando 45,5 milhões de pessoas, disse.

"O Mais Médicos é uma resposta do governo federal às necessidades da população, que sempre reivindicou a melhoria da saúde em nosso País. O governo federal está ouvindo esses pleitos e se esforçando para melhorar o atendimento de saúde do Brasil. Queremos um tratamento digno e respeitoso para toda a população e, sobretudo, para quem mais precisa, disse Dilma.

Em junho deste ano, manifestações populares tomaram as ruas de cidades de todo o País. Em resposta, o governo federal propôs cinco pactos, com um conjunto de ações em resposta às demandas populares. Os pactos propostos foram nas áreas de responsabilidade fiscal, reforma política, saúde, transporte e educação.

Conforme disse hoje Dilma, o "Mais Médicos" permite que haja bom atendimento nos postos de saúde, diminuindo as filas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), o que também diminui a procura e as filas nos hospitais. A presidente ressaltou que em um posto de saúde é possível resolver até 80% dos problemas de saúde. "Só para as regiões mais desassistidas, já levamos 2.963 médicos, e eles estão atendendo em mais de mil municípios. Para a região do semiárido, já levamos 1.594 médicos", destacou.

A presidente afirmou que o Brasil tem uma média menor de médicos por habitante que Argentina, Uruguai, o México, o Canadá. "Por isso, estamos aumentando as vagas dos cursos de Medicina, principalmente nas regiões onde mais faltam médicos. Até 2017, Luciano, serão 11,5 mil vagas, novas vagas", destacou.





Tópicos: Dilma, Balanço

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo