ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Eduardo Cunha agora quer PMDB no plenário

28 de maio de 2013 | 12h 17
ERICH DECAT - Agência Estado

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), alterou a orientação dada à bancada de esvaziar o plenário e pediu a presença dos deputados do partido, numa tentativa de obter quórum para o início da votação das Medidas Provisórias (601 e 605) que trancam a pauta nesta terça-feira (28).

No início desta manhã, Cunha disparou torpedos aos peemedebistas pedindo para que não registrassem presença no plenário. "Reitero a V. Exa. Solicitação não marcar presença em Plenário hoje, 28/05, até às 11h. Dep. Eduardo Cunha. Favor confirmar recebimento", diz trecho da mensagem.

Um novo torpedo foi enviado na sequência aos deputados do PMDB solicitando o registro da presença: "Solicito a V.Exa. marcar presença em Plenário para alcançar quórum. Dep. Eduardo Cunha", diz a nova mensagem.

As duas MPs que trancam a pauta do plenário da Câmara perdem validade na próxima segunda-feira (3) e o adiamento da votação na noite de ontem (27) colocou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em uma saia justa uma vez que, na semana passada, ele fez a promessa de que todos os projetos que chegassem na Casa deveriam ser discutidos num prazo mínimo de sete dias.

A promessa de Renan coloca em risco a MP 601 que estende os benefícios da desoneração da folha de pagamento previstos no Plano Brasil Maior aos setores da construção civil, do comércio varejista, de serviços navais e de outros produtos. A medida também prorroga o Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra), que devolve às empresas parte dos tributos com base no faturamento com exportação.

A outra proposta ameaçada de perder a validade é a MP 605, que permite a transferência de recursos da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para compensar descontos concedidos a alguns setores e viabilizar a redução da conta de luz aos consumidores e ao setor produtivo.

Na noite de ontem (27), o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), chegou a abrir a sessão para iniciar a discussão das MPs, mas após obstrução dos partidos da oposição que teve o apoio do PSD, PV e PSC, uma nova tentativa foi remarcada para hoje de manhã.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo