ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Gleisi já atua como líder informal do governo Dilma

12 de fevereiro de 2014 | 20h 25
DÉBORA ÁLVARES E RICARDO BRITO - Agência Estado

Uma semana após reassumir o mandato parlamentar, a ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann já virou uma líder informal do governo Dilma no Senado. Ao mesmo tempo em que ataca adversários da presidente, a senadora do PT tem atuado para neutralizar o impacto negativo que algumas votações podem ter sobre a imagem do País diante das agências internacionais de classificação de risco. As agências ameaçam desaconselhar o país como destino seguro para investidores estrangeiros.

O retorno de Gleisi, que vai se licenciar até o meio do ano para disputar o governo do Paraná, coincide com o momento em que o PMDB no Congresso começa a dar sinais de insatisfação com a inércia de Dilma em contemplar o partido na reforma ministerial e nas montagens dos palanques regionais. Espécie de "ministra avançada", ela atua no vácuo de ascendência que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, tem com senadores da base aliada.

Na linha de frente da defesa de Dilma contra prováveis adversários em outubro, a senadora já chamou o governador Eduardo Campos (PSB) de "oportunista" e "ingrato" e ironizou Aécio Neves (PSDB) por apresentar um projeto de lei que dificulta a extinção do Bolsa Família. Atuou também nos bastidores para impedir a votação na semana passada do projeto de renegociação das dívidas de estados e municípios com a União, além de ter sido nomeada para as duas principais comissões do Senado, a de Constituição e Justiça e de Assuntos Econômicos. "Para mim, é ótimo dividir (a liderança)", afirmou o líder "oficial" do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM), que ressaltou não ter qualquer "ciúme" com a atuação de Gleisi.

#ET



Tópicos: Gleisi, Senado, Liderança

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo